sábado, 11 de agosto de 2012

Amaral vai pra guerra



Volante aposta na conversa e na vontade para se acertar com companheiros




Amaral - Treino do Botafogo (Foto: Wagner Meier)É galera... Chegou a hora do volante Amaral estrear.

Levando-se em conta as últimas apresentações do time, tanto na Sul-Americana quanto no Brasileirão, parece claro que, além da carência na frente onde faltam artilheiros especialistas, faltava também um homem para guarnecer a entrada da área e fazer a cobertura dos nossos laterais que, no atual esquema, avançam em demasia.

Amaral é a aposta da vez por ser um primeiro volante clássico, daqueles que vão para o choque como um autêntico cão de guarda protegendo a casa. Um jogador com essas características torna-se imprescindível a qualquer esquema já que pode funcionar até mesmo como uma espécie de terceiro zagueiro. Mais ainda no Botafogo, tal a vulnerabilidade do nosso miolo de zaga.

Contratado recentemente junto ao Cruzeiro para suprir as ausências de M. Mattos e Lucas Zen que se recuperam de lesões graves, o volante terá chance na vaga antes ocupada pelo garoto Jadson, que tem características mais próximas as do titular Renato e, portanto, não deveria, em condições normais, ser escalado ao lado dele e sim ser considerado o seu reserva imediato.

Nesse esquema, nos falta o primeiro volante desde que Marcelo Mattos deixou o time. Desde então o time tem oscilado muito nas partidas e no setor. Até mesmo Renato, antes exaltado por suas atuações ao lado de Mattos, não vem fazendo um bom campeonato.

Com esse desequilíbrio, o treinador vem tentando achar uma solução com o revezamento de seus meias desde que Seedorf assumiu a condição de titular.  Porém, nenhum dos jogadores testados tem características de marcação que pudesse minimizar as falhas de cobertura e marcação. O que mais se aproxima dessa condição é Fellype Gabriel, porém o jogador não tem o vigor físico necessário para fazê-lo.

A expectativa da torcida é que Amaral entre na equipe já na partida deste domingo, contra a Portuguesa, no Canindé, uma vez que ficou no banco na derrota por 2 a 1 frente ao Palmeiras quando a zaga voltou a falhar muito, e não foi aproveitado.

Se faltar entrosamento em campo tem que ir na base da vontade e da conversa. Com a maratona de jogos, os times não tem tido tempo para trabalhar e, no caso do Botafogo, de entrosar seus novos contratados. É o caso de Rafael Marques e Lodeiro que ainda aguarda sua vez. O próprio R. Marques que tem tido seguidas chances  parece totalmente perdido em campo e não vem produzindo o que dele se esperava.

Amaral revela seu ponto forte antes da estreia pelo Fogão



A esperança da torcida é de que a solução para o baixo rendimento individual e coletivo dos zagueiros seja uma melhor proteção da entrada da área e a cobertura dos laterais, justamente os fundamentos em que o volante Amaral diz ser especialista. É esperar pra ver.



Felipaodf/BotafogoDePrimeira