sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Seedorf, O Exterminador de Rubro-negros



A saga continua. Que venha o Atlético-GO



Clarence Seedorf começou numa tarde noite de sábado, dia 04 de agosto, contra o Dragão Goiano, uma saga rumo ao título do Brasileirão, o que naquela oportunidade parecia uma missão perfeitamente factível. Sendo assim, colocou na cabeça que para conseguir o objetivo final, precisava bagunçar a vida dos times rubro-negros que viessem a cruzar seu caminho.

O PRIMEIRO

Naquela ocasião, fez um golaço com o "Selo Seedorf de Qualidade" justamente contra o primeiro que se atreveu desde que chegou ao Botafogo. Era o seu primeiro gol com a Camisa 10 do Glorioso e um bom sinal, pois deu um ânimo extra para o restante da jornada (1 a 2). Ser campeão brasileiro era o seu grande objetivo ao se transferir para o Glorioso.  Esse primeiro feito foi muito festejado por toda a Nação. 



O SEGUNDO

Já na segunda oportunidade, contra o Leão do Norte, Seedorf foi novamente decisivo. Dessa vez o embate foi no Engenhão, sua nova casa no Brasil.

Num jogo equilibrado, a tropa de Seedorf desferiu o primeiro golpe no rubro-negro pernambucano. Elkeson mandou um chicote certeiro que venceu pela primeira vez a meta adversária. A seguir a estrela de Seedorf, O exterminador brilhou pela segunda vez. Retomando uma bola na intermediaria, o meia partiu decidido em direção ao gol e desferiu o golpe mortal contra o Leão, que a essa altura do jogo já cambaleava (2 a 0). Gol de Seedorf, o segundo com o manto glorioso do Botafogo. Tombava assim, diante de seus pés, mais um rubro-negro.



O TERCEIRO

Na sequência, veio o terceiro rubro-negro, tradicionalmente, o mais encorpado deles. O Exterminador, dessa vez, iria enfrentar um Urubu malandro.

Era um domingo (26), e o duelo confirmou as expectativas com muita correria e equilíbrio de forças na arena do Engenhão. Lances bonitos de Seedorf - executando passes precisos se contrapondo aos desarmes eficientes do rubro-negro Cáceres, pelo Urubu.

A tropa de Seedorf parecia respeitar demasiadamente o adversário e pouco se arriscava no ataque, talvez por ser um clássico. Nenhum dos combatentes se mostrou inspirado o bastante pra decidir a partida. Mesmo assim, a imprensa noticiou no outro dia, "quem mantinha o bom nível era o holandês Seedorf. O camisa 10, aos plenos 36 anos, ainda ganhava a bola na corrida de garotos. Além do vigor físico e dos belos passes, assustou em boa cobrança de falta, para fora" (Ge).

Resultado, igualdade no placar (0x0) e um distanciamento perigoso do objetivo final. A tropa de Seedorf fecha o turno com 28 pontos, na sétima posição, longe do G4 assim como o inimigo que dessa vez saiu inteiro.



O PRÓXIMO

A saga continua no momento em que se inicia mais uma sequência de rubro-negros. Porém agora, transcorridas 32 rodadas, com objetivos bem mais modestos. Já não é possível ser campeão e as chances de alcançar uma vaga na competição continental foram reduzidas drasticamente para 2%.

Resta-nos torcer que Seedorf continue brilhando como uma Estrela (quase) Solitária e se imponha mais uma vez sobre os rubro-negros que se apresentem principalmente o último que ainda não sentiu o peso de seu golpe mortal.

Neste sábado tem Botafogo de Seedorf contra o já rebaixado Atlético-Go, no Engenhão, que no primeiro turno nos trouxe boas lembranças. Acompanhe tudo da trajetória do Exterminador de Rubro-negros, acessando, comentando e compartilhando essa história em: https://www.facebook.com/events/365648813507120/permalink/365888050149863/?notif_t=like


Por Felip@odf/ BotafogoDePrimeira