quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Sonhar não custa nada



Eduardo Vargas, quando atuava na Universidad de Chile/Crédito: Ivan Alvarado/Reuters

Segundo o site PLACAR, o Napoli divulgou um plano para emprestar o atacante Eduardo Vargas, fato confirmado pelo Diretor esportivo do clube italiano, Riccardo Bigon.


"Ele vai ser emprestado. Nós temos várias soluções na Europa e na América do Sul e elas se mostraram melhor para o seu crescimento”, disse o diretor esportivo do Napoli.

Sendo assim, São Paulo e Grêmio podem comemorar já que demonstraram interesse em contar com o jogador, que se destacou no time da Universidad de Chile - campeã da Sul-Americana em 2011, para a próxima temporada. Recentemente convocado para alguns jogos da seleção chilena, Vargas é pouco utilizado no Napoli, e deve sair.

Bom seria se o Botafogo pudesse entrar nessa lista de pretendentes mas, com as dificuldades financeiras recorrentes e anunciadas, nossa realidade é bem diferente do São Paulo de hoje. O clube paulista, com os cofres cheios, busca um nome para substituir o atacante Lucas que recentemente foi vendido ao Paris Saint-Germain, da França e hoje foi apresentado à imprensa. Seu presidente Juvenal Juvência avisa que não entrará em leilão pelo atleta, que também tem propostas de outros clubes italianos.

Passamos as últimas duas semanas de 2012 ouvindo promessas de nossos dirigentes de que teríamos reforços para a zaga, laterais e ataque já para a pré-temporada, com início marcado para o dia 4. Mas até agora, nada.

Fomos embalados por pequenos desejos - bem mais modestos do que os de são-paulinos e gremistas que sonham com Vargas. Neles estavam incluídos Grafite, Dagoberto, Nenê, Tanaka e uma interminável lista de especulações onde figurou até mesmo o experiente Davis Beckham, que acabara de encerrar sua carreira por gramados americanos.

Com a venda de Elkeson concretizada, acordamos para a realidade da manutenção de Seedorf, Bruno Mendes e, quem sabe, Dória pelo menos até a metade da temporada. Apesar do alto índice de rejeição da torcida, a diretoria preferiu manter o técnico Oswaldo no comando da equipe. Teremos ainda as voltas de Loco Abreu, cujo destino final é uma incógnita e de Caio, que ainda deve ser negociado. 

Seguem indefinidas as situações de Somália, Jobson e Fábio Ferreira, com poucas possibilidades de mercado e a "confirmação" da reapresentação do execrado Rafael Marques, pelo mesmo motivo.

Como dia 4 ainda não chegou e, até que se prove o contrário, o vice de futebol Chico Fonseca merece nossa consideração. Esse é o prazo que ele pediu para divulgar seus contratados e antes que se expire, só nos resta torcer para que suas promessas se concretizem para alegria geral da nação alvinegra. Será?


Por BotafogoDePrimeira