sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

A volta do artilheiro do "zero gol"



Pensando friamente, a promoção do atacante Rafael Marques à condição de titular no próximo jogo, contra o Boavista, não é coisa tão absurda assim como pode parecer a primeira vista.

É fato que o jogador não agradou a ninguém desde que chegou ao clube, no auge de uma crise de atacantes que tantos traumas causou à equipe na temporada passada. Com o baixo rendimento em campo depois de longo período de adaptação, caiu em desgraça junto à torcida até virar alvo de chacotas nas redes sociais como "o artilheiro do zero gol". 

No fim da temporada, com o projeto de remodelação do elenco para 2013, chegou a ser colocado em disponibilidade pelo treinador por considerar que já não havia ambiente para que o jogador atuasse no clube como acontecera com vários outros atletas, todos dispensados como foi o caso do zagueiro Fábio Ferreira, do atacante Jobson e do meia Vitor Junior, entre outros. Mas sua negociação, como sabido, era difícil.

Só havia duas hipóteses para isso acontecer. A primeira, se ele estivesse na vitrine, jogando, mesmo sem grande destaque para que fosse avaliado pelos possíveis pretendentes em condições reais, no campo. Porém, em razão das circunstâncias conhecidas por todos, isso não foi possível. 

Uma segunda possibilidade seria seu empresário, que mostrou grande poder de persuasão ao negociá-lo com o Botafogo, fazer um esforço derradeiro na tentativa de levá-lo de volta ao mercado de origem onde, segundo seus argumentos, o "artilheiro" gozava de grande prestígio. Mas isso, parece não ser a intensão de nenhum dos envolvidos na transação. Vai saber porque...

Mas, a verdade é que o jogador está aí e recebendo salário ou tentando receber nessa onda de atrasados. Pelo que dizem, chega a fantástica soma de duzentos mil por mês, só para treinar, treinar e treinar. Diante da situação, é preciso que volte a jogar e se torne útil ao time, deixando de mamar nas combalidas tetas alvinegras, sem produzir. No caso de uma nova sequência de fracassos, é mandar embora por falta de rendimento e assumir a burrada... ou melhor, dividir o ônus da contratação entre os (ir) responsáveis por ela e ressarcir o clube.

O próximo jogo, contra o Boavista, valendo a classificação para as semifinais da Taça Guanabara e a manutenção da liderança do grupo A, é ideal pra iniciar essa fase de (re) avaliação do jogador antes das grandes competições que estão por vir. Ele, nessa semana de treinamentos, tem sido o artilheiro da equipe e campeão de assistências aos companheiros que, puxados por Seedorf, dizem aprovar sua escalação.

Além dos atuais atacantes estarem em baixa e, como um todo, terem perdido muitos gols contra o Fla (B. Mendes em má forma, Vitinho e Sassá ainda inexperientes e Henrique que nunca está pronto), as voltas de Andrezinho e Gabriel ao time vão dar outra estrutura a equipe e devem proporcionar um equilíbrio entre as linhas que faltou no clássico, facilitando o jogo pra todo mundo.

A proteção da zaga, a cobertura dos laterais, a movimentação na meia cancha e a liberação de Seedorf (que andou sobrecarregado), pra jogar mais adiantado são fatores que devem despontar com essa nova formação. Quanto ao ataque, é melhor esperar!

Por Felipaodf/Botafogodepriemira.com