segunda-feira, 25 de março de 2013

Quem seria o palhaço dessa história?


Está aberta a votação, torcedor alvinegro!



O jogo de ontem contra o Madureira, em Moça Bonita, foi um teste de paciência para os torcedores alvinegros. Não pelo resultado favorável que demorou a sair, mas em função de uma arbitragem confusa, que acabou por monopolizar as discussões do pós-jogo na imprensa e nas redes sociais.

Ao invés de estarmos exaltando a boa atuação de Seedorf num jogo amarrado, sem graça e meio-paradão, que só valeu mesmo pela vitória, nos vemos aqui discutindo a atuação confusa do sexteto de arbitragem (é isso mesmo?) capitaneado pelo desconhecido imberbe Philip Georg Bennett, mais uma das invencionices da comissão de arbitragem carioca.

Pouco mais da metade do primeiro tempo e a confusão já estava instalada. O árbitro reverteu a marcação de um pênalti assinalado a favor do Bota, instantes antes dele ser cobrado por Seedorf.

Alertado por forças ocultas, o gajo retirou a bola da marca fatal e a colocou alguns metros adiante, no sentido contrário, mudando a vantagem do lance "de Botafogo para Madureira". A cena em si, me fez lembrar os tempos de Armando Marques.

O árbitro não deu qualquer satisfação à Seedorf, que estava posicionado para a cobrança e nem aos capitães. Esse gesto de boa vontade já seria o bastante para acalmar os ânimos, a essa altura do jogo, um tanto quanto exaltados. Mas não, mostrando uma "autoridade" artificial, impôs sua retardada decisão a todos.

Mas o pior estava por vir. No último minuto do tempo de acréscimo, o nobre Philip, do alto de sua inexperiência e arrogância, excedeu-se ao expulsar Seedorf numa decisão mal conduzida que configurou um equívoco crasso. Forçar uma suposta "substituição" do jogador que não mais poderia acorrer.

O prejuízo do Botafogo é considerável e do atleta, não fica atrás. O clube não vai poder contar com ele no próximo compromisso diante da Friburguense e quem sabe, em outros mais, dependendo do entendimento de procuradores e advogados de defesa que irão se confrontar nos tribunais.

A polêmica expulsão tomou tanta dimensão que foi destaque até mesmo na imprensa europeia. Sites da Itália e da Inglaterra repercutiram o cartão vermelho levado pelo craque alvinegro por ter sido originada de um fato inusitado.
Resta ao Botafogo analisar a súmula e interpretar a versão sustentada pelo árbitro (acusado pelo atleta de fazer "palhaçadas") para então tomar as providências no sentido de reparar os danos ao clube e à imagem do jogador, com a expulsão.

Por Felipaodf/Botafogodeprimeira.com