domingo, 26 de maio de 2013

Impressões que ficaram sobre a estreia do Fogão


Ficou a sensação que poderíamos ter saído com uma bela vitória do Pacaembu 



No jogo das faixas que marcou a estreia dos campeões estaduais do Rio e São Paulo no Brasileirão, o aniversariante do dia - Tite, ganhou de presente esse empate de 1 a 1 já que o Bota, pelo que produziu nos 90 minutos, merecia melhor sorte na partida.

Porém, levando-se em conta que o dito Timão voltou mais forte pro 2o. tempo com as modificações e não tivemos tanta facilidade como no 1o., o empate até pode ser considerado um bom resultado.

De tudo, lamentamos apenas o fato de sairmos na frente e, de novo, não termos matado o jogo quando podíamos. Mas Brasileirão é assim mesmo. Jogamos contra um dos candidatos ao título, que não perderá pontos dentro de casa quaisquer que sejam as circunstâncias, e encaramos o desafio de frente mostrando que também somos candidatos.

No nosso "bom dia" de hoje escrevemos que os jogadores alvinegros provaram que estão comprometidos com o projeto e que só falta a Diretoria se virar nos 30 e honrar os compromissos assumidos com eles no começo da temporada.

O Bota fez um bom jogo e a maioria dos jogadores foi bem. Foi o caso de Rafael Marques que se movimentou muito em campo caindo preferencialmente pela direita onde criou jogadas e deu alternativas aos meias na armação. Rafael ajudou muito na marcação e foi presença constante na nossa área nas cobranças de bola parada, ponto forte do adversário. Foi coroado com um belo gol, feito com estilo, honrando o passe preciso de Seedorf, o principal destaque da partida.

Gostei da postura do time como um todo que encurralou "os manu" no seu próprio campo e calou os "loucos" em grande parte do tempo. Mostramos a mesma capacidade técnica e mesma força coletiva apresentada na campanha do Carioca que os adversários e parte da mídia insistem em desprezar até agora.

O craque Lodeiro teve atuação discreta levando-se em conta o seu potencial. Prendeu muito a bola e não deu sequência às jogadas como era de se esperar. Com isso, virou alvo preferido dos marcadores recebendo faltas duras e seguidas dos adversários. Fez lembrar Fellype Gabriel no Carioca que, via de regra, era perseguido pelos trogloditas de camisa, com violência. Lodeiro vai ter que entender que o Carioca, onde foi um dos destaques, acabou. Deverá se adaptar rapidamente ao estilo mais pesado do Brasileirão e voltar a ser o jogador decisivo que foi no Estadual, inclusive marcando gols.


Já, Fellype Gabriel e Vitinho, que entrou no 2o. tempo, estiveram abaixo do normal e caíram muito de produção nos últimos dois jogos. O meia, geralmente muito eficiente na sua função sendo considerado por muitos como um dos destaques do Carioca, não conseguiu repetir suas atuações de costume e sobrecarregou o trabalho de Seedão e Lodeiro. Será que está enfrentando problemas físicos ou alguma proposta do exterior está tirando sua concentração?

Quanto a Vitinho, foi uma figura nula nesse e no jogo passado. Quem quer, procura seu espaço dentro de campo e aparece pro jogo. Entendo o Vitinho entrando no segundo tempo para mudar o panorama das partidas com suas arrancadas e dribles fáceis em direção ao gol. Seu papel é entrar e incendiar o jogo quando todos já estão querendo que ele termine. Mas não é bem isso que vem acontecendo. Parece que o jogador está sendo utilizado com a orientação de marcar lateral, como faziam com o Caio cai cai no tempo de Joel. Quem lembra? Daí, ele vira um jogador comum e a concorrência aumenta por essa vaga.

A defesa foi muito bem, marcando o até então "poderoso" ataque do Corinthians com desenvoltura. Alguns erros de posicionamento normais numa partida que envolveu duas equipes campeãs. Jefferson muito bem, de novo, caminhando para ser o no. 1 da seleção do Felipão. Mattos e Gabriel foram leões na marcação não correndo da "trocação".

No final, ficou o gostinho de que poderíamos sair com a vitória bastando pra isso um pouco mais de sorte nas finalizações e no bloqueio da jogada mortal dos caras: a bola parada. Do lado de lá, destaco apenas Paulinho - bom no desarme e ótimo no ataque.

Veja os melhores momentos da partida:



Saudações!