sábado, 13 de julho de 2013

Bota tem parada duríssima no sul


Campeonato começa a ganhar forma enquanto times tentam se acertar



O campeonato ainda é um recém-nascido, ainda não cumpriu sequer 20% de seu trajeto, mas talvez o desenho que ele apresente agora, como aconteceu em 2012, seja mais do que um rabisco, mais do que um rascunho. E vencer é tão necessário agora, neste fim de semana de clássicos e estreias de técnicos, quanto lá na frente, quando a tabela já estiver mais clara.

É uma rodada de três duelos regionais (dois deles grandes clássicos) e bons confrontos nacionais. Destaque para o Botafogo, líder do campeonato, que desafia o Grêmio no reencontro entre Renato Portaluppi e a torcida que o idolatra, e para a rivalidade colocada à prova em Coritiba x Atlético-PR e Vasco x Flamengo.

Comentários do blogueiro: Essa é a proposta do site da globo para todos os jogos da rodada e a cada semana estaremos destacando aqui, apenas a análise relativa aos jogos do Botafogo que é o que nos interessa. Caso você tenha interesses por outros jogos, dicas do cartola e outros coisas mais poderá ir direto no site anunciado.


GRÊMIO X BOTAFOGO
DOMINGO, 16H - ARENA GRÊMIO

Tem potencial para ser o melhor jogo da rodada. São dois bons times, um tentando entrar nos eixos, outro consolidado. Será a primeira partida do Grêmio na Arena depois do retorno de Renato Portaluppi, ídolo supremo do clube, ao comando da equipe. Ele estreou com empate contra o Atlético-PR fora de casa e agora tenta alavancar seus comandados para as primeiras colocações.

O Tricolor entra na rodada com o nono posto, resultado dos nove pontos que conquistou. São quatro a menos que o Botafogo, líder da competição e alimentado pela vitória de 1 a 0 sobre o Fluminense na última rodada. Mas vale o alerta: o campeão carioca foi dominado pelo rival em boa parte do duelo. O jogo deste domingo também tem o encontro entre Zé Roberto e Seedorf, dois jogadores de idade já avançada que impressionam ao comandar suas equipes.

Na TV: TV Globo (para RJ, DF, ES, RS - menos Porto Alegre -, PR, SC, BA, CE, RN, AL, PB, PI, MA, MT, MS, PA, AM, RO, AC, RR e AP), com Luís Roberto, Junior e Renato Marsiglia, e Premiere FC, com Linhares Jr. e Batista.

Arbitragem: Paulo César de Oliveira (SP), com Marcelo Carvalho van Gasse (SP) e Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP).

Você sabia que... uma partida entre Grêmio e Botafogo pelo Brasileirão não termina empatada por 0 a 0 há 41 anos? Foram 38 jogos com pelo menos um gol desde 1972.


Comentários do blogueiro: Finalmente conseguimos chegar ao topo da tabela  no último fim de semana confirmando o discurso dos jogadores e a esperança da torcida botafoguense. O fato em si é um feito para o Bota que sempre conviveu com uma espécie de "síndrome da liderança" - um mau que quase sempre persegue o time alvinegro qualquer que seja a competição. Ela consiste em dar mole sempre que a possibilidade de chegar à liderança se apresenta. Mas isso, definitivamente acabou. Veja o que escrevemos sobre o tema após vencermos o Fluminense na última rodada quando o time assumiu a ponteira do campeonato: http://felipaodf.blogspot.com.br/2013/07/a-sindrome-da-lideranca-e-forca-do-fogao.html

O que correu nas redes essa semana a respeito da façanha foi a expressão: chegar é fácil, o difícil é manter...

Realmente, num campeonato competitivo como o Brasileirão onde mais da metade dos 20 participantes tem reais condições de serem campeões, não é fácil manter-se no topo da tabela ou mesmo no G-4. Quando o adversário é o Tricolor Gaúcho então - um elenco super qualificado e jogando dentro de seus domínios (nova Arena), nem se fala. Sem dúvidas será uma parada difícil para as nossas pretensões.

Mas o Botafogo não está nessa posição por acaso. Nesse começo de campeonato em que a maioria das equipes ainda está se restruturando, retomando trabalhos com novos técnicos - caso do Grêmio e remontando elencos em razão das transferências de jogadores, o Fogão vai colhendo os frutos de ter mantido o técnico e a base do elenco da temporada passada. Com dispensas e reposições pontuais, pode firmar sua filosofia de jogo que não se altera mesmo com a mudança de uma ou outra peça.

O time repete o sucesso alcançado no Campeonato Carioca onde chegou ao título e vai conquistando pontos preciosos nesse começo de jornada que podem fazer diferença lá no final. Venceu adversários qualificados dentro e fora de casa, alguns deles concorrentes direto ao título.

O Bota também perdeu jogadores nesse período e ainda corre o risco de perder mais. Negociou recentemente os suplentes Jadson e Andrezinho e o meia Fellype Gabriel que era titular absoluto e um dos destaques do time. Mesmo assim, não perdeu o padrão tático e vem tentando suprir as ausências com uma reserva promissora formada por jogadores oriundos da base.

Nesse jogo de domingo, diante do time do marrento Renato Gaúcho, O Bota não contará com o volante Gabriel suspenso pelo 3o. cartão amarelo. No seu lugar entra o experiente Renato que já foi titular da posição e vem voltando aos poucos após longo tempo fora, por contusão.

Para que as coisas andem bem, vamos precisar da mesma aplicação tática e disposição na marcação mostrada no jogo contra o Flu, bem como uma dose extra de paciência pra aguentar a pressão do adversário que certamente ocorrerá jogando diante de sua torcida.

O time ainda não está 100% ajustado com a ausência de F. Gabriel. Vitinho, seu substituto, ainda não encaixou na nova atribuição de marcar os avanços dos laterais adversários. Escalar o jogador nessa função é um desperdício, já que sua capacidade de driblar em direção ao gol e o chute forte (suas principais características) estão sendo tolidas. Vamos precisar que ele entre ligado e se mantenha assim o tempo todo do jogo e possa produzir mais ofensivamente do que produziu nos últimos jogos.

O mesmo espera-se de Lodeiro que, depois que voltou da Seleção Uruguaia - onde pouco jogou, não vem reeditando os bons jogos de antes, quando estava voando e andou marcando alguns gols. Mesmo assim, louva-se sua disposição em campo e a vontade de acertar sempre.

Nossas maiores esperanças seguem depositadas sobre Seedorf, o homem que comando o ritmo do Fogão. Ele deve ser vigiado de perto pelos gremistas e encontrar muitas dificuldades para evoluir em campo. Como rival, terá do outro lado o meia Zé Roberto com a mesma função de articular as ações gremistas e também deverá ser vigiado de perto por nossos marcadores.

Como as estatísticas do Brasileirão apontam que nesse confronto não acontece um 0 a 0 a mais de 40 anos, vamos nos preparar pra comemorar mais uma vitória do Fogão, dessa vez com mutos gols. Porque não?

Ah, eles tem Vargas e Barcos e nós Dória e Bolívar. E se chegarem muito perto a ponto de arrematar em gol, ainda teremos Jeeeeeeeeefferson...

Os times deverão entrar em campo com:

Grêmio: O Tricolor está praticamente definido para o jogo. A tendência é que Adriano entre em campo, pela sequência de jogos como titular: Dida; Pará, Werley, Bressan e Alex Telles; Adriano (Matheus Biteco), Souza, Zé Roberto e Elano; Vargas e Barcos.


Botafogo: No Bota, a tendência é de que o técnico Oswaldo de Oliveira repita a formação da partida contra o Flu com apenas uma alteração. Sendo assim, vamos com Jefferson, Lucas, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos e Renato; Seedorf, Lodeiro, Vitinho e Rafael Marques.

Boa sorte Fogão!

Matéria base: Alexandre Alliatti - GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro