quarta-feira, 14 de agosto de 2013

A briga pela liderança continua: Que venha o Inter!


GUIA DA RODADA #14: times lutam por vagas no acessível G-4. Diferença entre o quarto colocado, Corinthians, e o décimo, Vasco, é de apenas três pontos. Briga pelas primeiras colocações esquenta a rodada




A luta pelo G-4 costuma ser o maior atrativo do Campeonato Brasileiro. Se a briga pelo título geralmente se restringe a poucos times, uma vaga na área que garante lugar na Taça Libertadores da América se tornou acessível como há muito tempo não acontecia. Nesta edição do torneio, o grupo varia entre 21 e 25 pontos, e pode ser atingido por até seis times que estão logo abaixo - fato que só ocorreu em 2007 na "era dos pontos corridos", cujo início se deu há exatos dez anos. Uma disputa acirrada, que será alimentada por confrontos diretos nesta 14ª rodada. Dividindo a liderança, Cruzeiro e Botafogo enfrentam Grêmio e Internacional, respectivamente, que também são concorrentes ao G-4.

A missão da Raposa é complicada: vai à Arena do Grêmio em busca dos três pontos, que não vieram no Mineirão, no último domingo, quando a equipe teve a chance de se isolar na liderança do Brasileirão, mas apenas empatou sem gols com o Santos. Já o Botafogo, que não fez valer o mando de campo no Mané Garrincha e também ficou só no empate com o Goiás na última rodada, volta ao Maracanã para encarar o Internacional e também buscar a ponta de maneira exclusiva. 

*A vitória dos gaúchos sobre a Raposa, em casa, é perfeitamente possível e vamos torcer por ela. Porque não?

Dois duelos de times em situações opostas marcam a 14ª rodada. Na quarta-feira, o Corinthians tenta manter seu embalo e segurar a vaga no G-4 contra o Fluminense no estádio do Maracanã. A equipe carioca briga para não se aproximar ainda mais da zona de rebaixamento - da qual se encontra a apenas dois pontos. 

*Sou mais um time todo de "guerreiros" do que o de um Guerreiro só (rsrsr). Pra cima deles, Flu!


Comentários do blogueiro: Essa é a proposta do site da globo para todos os jogos da rodada e a cada semana destacamos aqui, apenas a análise relativa aos jogos do Botafogo que é o que nos interessa. Caso você tenha interesses por outras partidas, dicas do cartola e outros coisas mais, poderá ir direto no site anunciado.


BOTAFOGO X INTERNACIONAL
QUINTA-FEIRA, 21H - MARACANÃ


O confronto que fecha a 14ª rodada do Campeonato Brasileiro promete ser equilibrado. Dividindo a liderança com o Cruzeiro (fica em segundo pelos critérios de desempate), o Botafogo volta ao Maracanã para superar o tropeço da última rodada - quando apenas empatou com o Goiás em Brasília - e se manter na ponta de cima da tabela de classificação. Com Seedorf na liderança da equipe mais uma vez, o Fogão defende uma invencibilidade de seis partidas. Reforçado para o Brasileirão e com um jogo a menos que todos os dez primeiros colocados, o Internacional busca provar mais uma vez a força de seu elenco e, ao mesmo tempo, evitar que um dos concorrentes diretos se distancie. Os três pontos são absolutamente fundamentais para ambos os lados.


Na TV: SporTV (menos RJ) e PremiereFC 2: Jáder Rocha e Lédio Carmona.

Arbitragem: Wilton Pereira Sampaio (GO) apita a partida, auxiliado por Rogério Pablos Zanardo (SP) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA).

Você sabia que... Botafogo e Internacional não se enfrentam no Maracanã há seis anos? O último confronto entre as duas equipes neste estádio aconteceu no dia 19 de agosto de 2007. Na oportunidade, a partida terminou empatada em 1 a 1.



Comentários do blogueiro: Vencer e secar. Essa era a missão dos alvinegros na rodada passada e continua viva nessa também. Bastava uma vitória sobre o Goiás no sábado e torcer por tropeços do Cruzeiro (líder por critérios de desempate) contra o Santos e Coxa que contra o Vasco, que jogavam em casa, para voltar à liderança do Brasileirão.
Veja o nosso post do pré-jogo "Dever de casa em Brasília", previsão que acabou não acontecendo. O time ficou devendo e foi reprovado pela torcida:http://felipaodf.blogspot.com.br/2013/08/dever-de-casa-em-brasilia.html


Esperávamos que o Bota fizesse o dever de casa contra o Goiás do artilheiro Walter, sensação do time esmeraldino, dado a recepção que o time teve desde sua chegada à cidade. A procura de ingressos foi grande e proporcionou uma renda de 1,5 milhões, com 23,3 mil pagantes que foram apoiar o time. 

Nossa previsão de público girava em torno de 30 mil, veja no post da chegada do Bota à cidade: http://felipaodf.blogspot.com.br/2013/08/vamosinvadiromane.html


Seedorf era dúvida e teve sua presença confirmada pelo placar do estádio faltando 5 minutos para o início da partida. A torcida presente foi ao delírio prevendo uma festa que não se confirmou. O time não passou de um empate sem graça com o Goiás e perdeu a oportunidade de se distanciar na liderança do campeonato.

Com as ausências de Bolívar, Gabriel e Lodeiro, 
o time não se encontrou em campo. Os três substitutos foram muito mal. André Bahia, Renato e Elias não corresponderam as expectativas e foram, ao lado do desgaste físico de alguns jogadores, os responsáveis pela queda de produção em razão direta da perda da principal característica do time na competição: a força de seu conjunto. 

Com isso, o principal destaque do jogo acabou sendo o gordinho Walter, artilheiro do Goiás. Como alertava o goleiro Jefferson antes da partida: - é motivo de preocupação.

Veja o que escrevemos após o jogo: "Reflexões tardias sobre o jogo em Brasília": https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=2772368547745701419#allposts/postNum=1



Saímos do Mané Garrincha frustrados com o resultado e mais ainda com o desempenho do time. Jogamos muito abaixo das nossas possibilidades, mesmo considerando-se as ausências de jogadores importantes no esquema.

Com o fechamento da rodada, no domingo, vimos que os resultados dos concorrentes diretos ajudaram a minimizador o desânimo que nosso empate causou. Com a derrota do Coxa pro Vasco e o empate do Cruzeiro, as posições anteriores foram mantidas e o poderoso Corinthians chegou. Continuamos com a mesma pontuação da Raposa, perdendo a 1a. posição pelo saldo de gols. Dessa forma, a luta pela liderança continua na quinta-feira, contra o Inter de D'Alesandro e Damião, já sabendo dos resultados dos concorrentes. A torcida, como sempre, terá um papel fundamental na busca pela vitória na volta do time ao Maracanã.


No jogo de Brasília, faltou Bolívar, Gabriel e Lodeiro: jogadores sem substitutos à altura no atual elenco alvinegro. A falta de coordenação entre as linhas era evidente e nem Seedorf, que voltava ao time à meia-boca, conseguiu amenizar. 

Era visível o desgaste físico de Rafael Marques, Seedorf e Julio Cesar antes mesmo do intervalo da partida. Somente o meia chegou ao final do jogo sem ser substituído. Com isso, a marcação sobre pressão no campo adversário não foi feita, residindo aí o nosso principal problema.

Como agravante, ainda tivemos que conviver com o baixo rendimento técnico de André Bahia – visivelmente nervoso, e Renato – permanentemente sem ritmo de jogo. Era muito para uma partida só. Canhoto assim como Dória, Bahia foi escalado pela direita da zaga e mostrou muita dificuldade em sair jogando. Acabou protagonizando o lance bisonho do empate esmeraldino ao tentar cortar um cruzamento com a perna direita (dito, cega). A bola resvalou na sua canela e foi direto pro gol sem que Jefferson pudesse alcança-la.

Com os três desfalques e Seedorf a meia boca, o time sentiu e poucos não sentiriam. Somente clubes com elencos fortes como o Cruzeiro, Atlético, Corinthians e os times do sul conseguiriam manter o padrão. 

O Botafogo é competitivo pela força de seu conjunto e lampejos de alguns de seus jogadores a cada partida. Depois dessa experiência podemos afirmar que com o time titular e uma ou outra modificação, temos condições de continuar brigando no G-4 e até chegar ao título. Do contrário, com sorte, repetiremos a posição do ano passado.

Jefferson, Bolívar, Dória, Seedorf, Rafael Marques, Vitinho e Lodeiro formam a base que vem sustentando essa condição. Outro que pode chegar a essa condição é Gilberto, que não joga contra o Inter. O lateral vem subindo muito de produção, fez sua melhor partida como titular e caminha para ser um dos destaques do campeonato na posição. Vai ser difícil de tirá-lo do time, mesmo quando Lucas voltar.

Por outro lado, continuamos mal de atacantes e novamente perdemos muitas chances claras de gol. Não fomos devidamente mobiliados na posição por falta de estrutura financeira do clube. Não temos um elenco homogêneo capaz de suportar tantas ausências num mesmo jogo, comuns nesse tipo de competição e que, via de regra, ocorrem também com os concorrentes. As coisas ainda podem se agravar com a retomada da Copa do Brasil que tem seu reinício programado para o meio da semana que vem.

O negócio agora é recuperar os estafados e contar com a volta de Bolívar e Gabriel pra reequilibrar o time. Jefferson na seleção e Gilberto suspenso não jogam e devem ser substituídos por Renan e Edilson. A saga continua.

É com eles que vamos buscar o que é nosso, pois a liderança está em nossas mãos.

Escalações

Botafogo: Sem problemas de última hora, Oswaldo deve mandar a campo os seguintes jogadores: Renan, Edilson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos e Gabriel; Seedorf, Vitinho e Rafael Marques; Elias.

Internacional: O Inter de Dunga, assim como indicou o treino desta quarta, terá o seguinte escalação: Muriel; Jorge Henrique, Ronaldo Alves, Juan e Fabrício; Ygor, Willians, Alex e D'Alessandro; Scocco e Leandro Damião.

Boa sorte Fogão!

Matéria base: GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro


Por @Felipaodf/Botafogodeprimeira.com