quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Que nos desculpe o Galo, mas precisamos da vitória


GUIA DA RODADA #12: Tem briga boa, não importa a parte da tabela. 
Atlético-MG x Botafogo, Santos x Corinthians e outros colocam frente a frente times em dificuldade e equipes em evolução





Craques, gênios, ídolos: é Seedorf x R10 na 12ª
rodada (Montagem sobre foto da Agência Estado)
O principal jogo da 12ª rodada do Brasileirão tem o líder contra o 17º colocado, o primeiro da zona de rebaixamento. Onde está a graça? Simples: é o Botafogo de Seedorf contra o Atlético-MG, campeão da América, de Ronaldinho Gaúcho. Ex-companheiros de Milan, eles se encontram no Independência, em Belo Horizonte, nesta quarta-feira. (...)

A Raposa, que está no calcanhar do Botafogo, tem de vencer e torcer, veja você, para o Atlético-MG, seu maior rival, não perder para os cariocas. A liderança vale o esforço.

Disputas à parte, a 12ª rodada já tem um jogo realizado. São Paulo e Internacional não entrarão em campo. Como o Tricolor Paulista estaria fora do Brasil esta semana para disputa de torneios, eles se enfrentaram no dia 24 de julho, no Morumbi. O Colorado venceu por 1 a 0.



 Comentários do blogueiro: Essa é a proposta do site da globo para todos os jogos da rodada e a cada semana estaremos destacando aqui, apenas a análise relativa aos jogos do Botafogo que é o que nos interessa. Caso você tenha interesses por outras partidas, dicas do cartola e outros coisas mais, poderá ir direto no site anunciado.


ATLÉTICO-MG X BOTAFOGO
QUARTA, 21H50M - INDEPENDÊNCIA


Que jogo, meus amigos e amigas! O líder do Brasileirão contra o campeão da América. "Vai ser um jogão", disse o técnico do Atlético-MG, Cuca. A ressaca atleticana acabou. E tem de acabar mesmo, já que a equipe está na zona de rebaixamento. O treinador promete força máxima. Isso quer dizer que Ronaldinho Gaúcho e Jô vão jogar. Já era hora. Afinal, foram três derrotas nas últimas três rodadas. 


Apesar da superioridade do Botafogo em edições do Brasileirão, nas últimas três vezes em que as equipes se encontraram pela competição o Galo saiu vencedor. A derrota para o Atlético-PR na 10ª rodada pôs fim a uma invencibilidade de 54 jogos da equipe no estádio Independência, palco da partida desta quarta-feira. Ao lado do Goiás, o Atlético tem o segundo pior ataque da competição, com apenas nove gols marcados. 

Na história do Brasileirão, o Botafogo leva vantagem, com 19 vitórias, 13 empates e 15 derrotas diante do Galo. Com 18 gols marcados neste campeonato, o Glorioso tem demonstrado força nas finalizações de perna direita, com 12 gols feitos desta forma. Após finalizar 28 vezes diante do Vasco, o maior número em uma mesma partida na competição, tornou-se o quarto que mais chuta ao gol adversário, com 156, média de 14,2 por partida. E ainda tem Seedorf e Rafael Marques em grande fase.

Na TV: Globo para RJ, Santos (SP), ES, MG, DF, RS, BA, RN, AL, PB, SE, PI, Balsas (MA), PA, AM, RO, AC, RR e AP: Luís Roberto, Júnior e Renato Marsiglia. PremiereFC 3: Rogério Corrêa e Leonardo Figueiredo.

Arbitragem: Raphael Claus (SP) apita o jogo, auxiliado por Vicente Romano Neto (SP) e Paulo Cesar Silva Faria (MT).

Você sabia que... as três últimas partidas entre Atlético-MG e Botafogo foram vencidas pelo Galo? Na penúltima rodada do Brasileirão 2011, o time mineiro goleou por 4 a 0 em Sete Lagoas, resultado que assegurou sua permanência na Série A. No Brasileirão 2012, o Galo venceu duas vezes por 3 a 2, ambas de virada. A última vitória do Botafogo foi pela Copa Sul-Americana 2011, por 1 a 0.


Comentários do blogueiro: No post do pré-jogo contra o Vasco alertávamos que quem fosse ao Maraca no domingo assistiria a um jogão de bola e, por ser um clássico, um jogo entre iguais com possibilidades de vitória para os dois lados. E não deu outra. Alvinegros e Cruzmaltinos fizeram um jogo emocionante com muitos lances de pura técnica e muita disposição. 

O Botafogo foi sempre melhor no jogo por ter um time já montado. Meteu dois de frente, parecia ter decidido a parada e acabou cedendo o empate no comecinho do segundo tempo. Coisas típicas de um clássico, mas difícil de aturar. Porém, apesar desse roteiro dramático na construção do placar, o time não se abalou com o empate e mostrou força suficientes pra consolidar a vitória logo a seguir (4') num lance de rara felicidade de Rafael Marques, o destaque da rodada, que já havia marcado o primeiro. 

O cartaz do espetáculo prenunciava o que estava pra acontecer ao destacar a presença de dois astros. Juninho, pelo lado do Vasco e Seedorf pelo Fogão. E eles foram realmente dois dos maiores expoentes da partida. Comandaram suas equipes durante o jogo e proporcionaram lances de extrema felicidade aos expectadores como o giro por cima da bola de Juninho no gol cruzmaltino e de Seedorf, na cavadinha do seu primeiro gol no Maraca. Havia ainda um outro ingrediente anunciado: a estreia do voluntarioso volante Guiñazu, a mais nova aquisição vascaína que tinha como missão, barrar o craque Seedorf. O jogador vinha tendo uma estreia discreta até sentir a coxa (31') - uma contusão séria que o tira da disputa do campeonato.

O grande objetivo do Bota no jogo era retomar a liderança do campeonato perdida temporariamente para o Cruzeiro no início da rodada, ainda no sábado. Bastava para isso uma simples vitória sobre o rival. Pelo lado do Vasco, uma vitória no clássico confirmaria a ascensão técnica do time sob o comando de Dorival Junior. Mas deu Botafogo com toda justiça. Conseguimos a 7a. vitória no campeonato e voltamos a liderar a competição com 23 pontos, dois a mais do que a Raposa que vem em segundo. 

Ao final da partida, o time de mãos dadas agradeceu o apoio da torcida que vem dando mostras de que começa a voltar aos estádios em apoio aos jogadores que tem superado com maturidade, os problemas extra-campo que vem minando as finanças do clube. O clássico gerou uma renda de R$ 1.375.320,00 e teve o público de 24.979 pagantes e 33.419 presentes.

Veja o post do pré-jogo "Uma vez líder, a ordem é reconquistar a posição", na íntegra: http://felipaodf.blogspot.com.br/2013/08/guia-da-rodada10-vanderlei-luxemburgo-e.html

Vitinho, que vinha sendo muito contestado por tomar decisões precipitadas na conclusão das jogadas teve uma grande atuação. Confirmando sua subida de produção nos últimos jogos, d
eu belo passe para Seedorf fazer o segundo gol, lançou Rafael Marques no terceiro e criou várias jogadas de perigo. O mesmo aconteceu com Lodeiro, que não vinha reeditando as atuações de antes da Copa das Confederações. Subiu de produção em relação aos últimos jogos, teve uma boa dinâmica de jogo mas ainda pecou nas conclusões a gol. Perdeu pelo menos três boas chances de marcar e sair consagrado.

Para o confronto de alvinegros de hoje entre o líder do campeonato e o campeão das Américas, as condições são bem próximas do último jogo contra o Vasco. É mais um clássico do futebol brasileiro cercado por grande rivalidade, porém disputado na casa do Galo onde costumavam se impor e amedrontar os adversários até a derrota para o Atlético-PR que pôs fim a uma invencibilidade de 54 jogos no estádio.

Vão estar frente a frente não só as filosofias de jogo vencedoras de
Cuca e Oswaldo, como jogadores da qualidade de Ronaldinho Gaúcho e Seedorf, Vitor e Jefferson,  e porque não, Rever e Dória, Jô e Rafael Marques, Tardeli e Lodeiro. Resta a expectativa de como cada um desses personagens e as próprias equipes vão se comportar na escamada disputa de hoje que pode ter ainda ter consequências nos próximos embates entre as duas equipes pela Copa do Brasil.

O Bota é um time pronto e equilibrado que joga sempre da mesma forma quaisquer que sejam os adversários ou o lugar e contra o Galo, não creio que vá mudar. Vem repetindo a escalação nos últimos cinco jogos e mesmo assim tem surpreendendo seus adversários com variações nas bolas paradas e virtuosidade individual de seus jogadores. Já o Galo vem de uma ressaca natural da maior conquista de sua história e jogando com desfalques importantes nas últimas partidas, que ninguém sabe quando vai passar. O time vai pro jogo completo e promete dureza contra o líder. O resultado desse embate é imprevisível e esperamos que seja favorável ao Fogão pelo momento que atravessa na competição. 

Escalações

Botafogo: Sem problemas de última hora, Oswaldo deve repetir o time que venceu o Vasco no fim de semana, com Jefferson, Gilberto, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos e Gabriel; Seedorf, Lodeiro, Vitinho e Rafael Marques.

Atlético: Cuca deve mandar a campo a seguinte formação: Victor; Marcos Rocha, Léo Silva, Réver e Junior Cesar; Pierre, Josué, Diego Tardelli, Ronaldinho Gaúcho e Luan; Jô.


A missão é manter a ponta da tabela a qualquer custo e que o Galo, que ocupa uma vaga no Z-4 (17'), deixe sua recuperação no campeonato para a semana que vem. Boa sorte Fogão!


Matéria base: GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro


Por @Felipaodf/Botafogodeprimeira.com