sábado, 28 de setembro de 2013

Contra a Ponte, só a vitória interessa


GUIA DA RODADA #24: Cruzeiro visita Inter e pode levar a dois dígitos a vantagem sobre o Botafogo



Em tese, é uma rodada propícia para cair a distância do líder para o vice. Em tese, a última também era, e aconteceu exatamente o contrário. A combinação da visita do Cruzeiro ao Inter e do jogo do Botafogo em casa contra a Ponte Preta é animadora para os cariocas. Mas seu próprio desempenho, e em especial o rendimento da Raposa, indica o contrário (...).

Mas a atenção no Brasileiro está longe de se restringir aos líderes. A árdua briga contra o rebaixamento faz com que esta seja mais uma rodada de duelos interessante entre equipes que ou ainda não se livraram da queda, ou são assombradas por ela. Destaque para Flamengo x Criciúma e Bahia x Vasco.


Comentários do blogueiro: Essa é a proposta do site da globo para os jogos da rodada e a cada semana destacamos aqui apenas a análise relativa ao do Botafogo que é o que nos interessa.

BOTAFOGO x PONTE PRETA
SÁBADO, 21H - MARACANÃ


O segundo melhor e o segundo pior do campeonato se enfrentam no Maracanã. O Botafogo precisa vencer. Necessariamente. E não apenas por questões numéricas, não apenas pela importância de tentar diminuir a distância de oito pontos que o separa do Cruzeiro. Precisa vencer porque precisa recuperar a rotina de bons resultados. Em uma temporada tão positiva, os alvinegros estranham as duas derrotas seguidas no Brasileirão, acompanhadas pelo empate com o Flamengo na Copa do Brasil. A queda de aproveitamento do time é consequência da baixa produção. O desempenho de atletas como Seedorf e Lodeiro, tão importantes, se tornou preocupante. Se não vencer agora, o Botafogo pode criar uma bola de neve para a reta final do campeonato e até comprometer sua caminhada.

Do outro lado, está a Ponte Preta, penúltima colocada, mas que já viveu momentos piores no campeonato. Nas últimas três rodadas, quase venceu o Flamengo (levou um gol no final), bateu o Corinthians e levou 1 a 0 do Atlético-PR. Melhor: ganhou do Deportivo Pasto, da Colômbia, por 2 a 0 pela Sul-Americana. É um momento de ânimo renovado no time campineiro, que ainda sonha se livrar do rebaixamento - está oito pontos distante do Flamengo, o primeiro fora da zona de queda. Um porém: está sem os atacantes William e Chiquinho.

Na TV: Premiere FC, com Eduardo Moreno e Lédio Carmona.

Arbitragem: Francisco Carlos do Nascimento (AL), com Fabio Pereira (TO) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA).

Você sabia que... o Botafogo ainda não ficou quatro jogos sem vencer neste Brasileirão? Se não bater a Ponte, o clube carioca terá sua pior sequência no campeonato.

Comentários do blogueiro: O Bota recebe a Ponte em casa com a obrigação de vencer, fazendo valer a condição de vice-líder sob pena de ver a Raposa fugir do alcance, de vez. Está passando da hora do "melhor do Rio" reagir. São duas derrotas seguidas (Cruzeiro, fora e o Bahia, em casa), que refletem o desiquilíbrio momentâneo do time no Brasileirão.

Tinha na sequência dos jogos em casa, inicialmente contra Bahia e Ponte, o trunfo para se aproximar do time mineiro que, por sua vez, iria encarar adversários mais categorizados (Corinthians e Inter) fora de casa. Mas o plano começou a dar errado no domingo passado, com a derrota inesperada para os baianos o que fez o time carioca se distanciar mais um ponto (8) do líder Cruzeiro que empatou em São Paulo.

O Bota entrou desinteressado em campo e foi facilmente dominado pelo Bahia que chutava muito a gol mas não conseguia marcar. O Alvinegro só conseguiu impor seu jogo no começo do 2o. tempo e mesmo tendo feito um gol de falta com Edilson (30’) ainda no 1o., não merecia o placar. Pelo menos esse era o sentimento da torcida que compareceu ao Maraca (25 mil), tal o domínio tático, técnico e físico do time baiano que esperava-se, muito mais estafado depois de ter vencido o Inter (2 a 0), no meio de semana, na boa terra.

Nesse breve período de domínio, o Bota teve chances de matar o jogo em lances com Hyuri, Alex e Lodeiro. E como não matou, acabou morrendo. O técnico Cristóvão além de armar bem o seu time, mexeu melhor ainda o que foi decisivo para a vitória.

Mesmo voltando com Seedorf posicionado quase como um volante, o que deu supremacia temporária ao Botafogo, o técnico botafoguense demorou a perceber a inutilidade de Lodeiro e foi castigado com o gol de empate de Fernandão (36’), num erro de posicionamento coletivo dos alvinegros. O que já era ruim piorou de vez. O velho conhecido Obina, que havia entrado no lugar de Barbio, deu o tiro de misericórdia (41’) nas pretensões alvinegras ao completar de cabeça uma cobrança de falta em completo impedimento que o bandeirinha não assinalou.

Vamos em frente atrás da recuperação. O Bota vem de um empate (1 a 1) contra o rival Flamengo, pela Copa do Brasil, num jogo cheio de alternativas que por pouco não venceu, depois de sair perdendo o primeiro tempo quando foi amplamente dominado. A Macaca há de pagar o pato porque não há mais espaço para o azar.

Elias continua de fora e dá lugar a Hyuri, assim como Renato que se recupera de desconforto na coxa. Bolivar, que não jogou contra o Fla cumprindo suspensão, volta como titular na vaga ocupada por Dankler que fez boa estreia com a camisa do Fogão. O restante do time deve ser o mesmo que perdeu para o Bahia, na rodada passada. Fica a expectativa sobre o posicionamento de Seedorf em campo depois dele ter sido recuado para uma posição intermediária no jogo contra o Flamengo e o time ter se ajustado.

Já o Ponte vem ao Rio sem Willian, seu principal artilheiro. Apesar de ocupar a zona de rebaixamento, o time campineiro dá sinais que pode deixar a incômoda posição em breve. Fez bons jogos contra o Flamengo e Corinthians pelo Brasileirão e venceu (2 a 0) o Deportivo Pasto, da Colômbia, pela Copa Sul-Americana. Nessa condição, o técnico Jorginho não divulgou a escalação. A tendência e que monte um time mais cauteloso com a entrada de mais um zagueiro ou volante como tem feito contra adversários mais qualificados.

Escalações:

Botafogo: Jefferson, Edilson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel, Lodeiro, Seedorf e Hyuri; Rafael Marques. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Ponte Preta: Roberto, Artur, Ferron, Diego Sacoman e Uendel; Baraka, Fellipe Bastos, Adrianinho e Elias


Por @Felipaodf/Botafogodeprimeira.com