sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Perdemos o rastro da Raposa, mas não o campeonato


Depois de se distanciar do Cruzeiro, Bota recebe o Bahia, no Maraca, com obrigação de vencer



Foi um jogão. Cruzeiro e Botafogo confirmaram todas as expectativas que se formaram em torno do confronto entre o líder do campeonato e seu vice. Falavam até em final, mesmo com a disputa sendo em pontos corridos, e foi com esse espírito que os rivais se enfrentaram.

A Raposa venceu com um placar dilatado (3 a 0) e deu enorme passo rumo à taça (49). Quanto ao Alvinegro, permaneceu em segundo na tabela (42), agora com sete pontos de diferença. Além do Bota, os concorrentes diretos por vaga no G-4 - Grêmio (38), Atlético-PR (38) e Inter (34) - também lamentaram o resultado.

No primeiro turno as equipes já haviam feito um bom jogo, em Volta Redonda, com bela atuação da equipe celeste, mas o Fogão saiu com a vitória (2 a 1). Na "decisão" de meio de campeonato, o Bota jogou de cabeça erguida, no Mineirão, e por circunstâncias inusitadas da partida foi derrotado por um poderoso (time e elenco) adversário.

O Botafogo lutou até o fim mas não deu. Levou um gol do volante Nilton no último lance do primeiro tempo na jogada mais manjada do adversário. A mesma que decidiu o jogo contra o Furação e foi amplamente comentada na semana passada. Dedé fez uma parede prendendo Bolivar e M. Mattos que não acompanhou a movimentação de Nilton. O jogador, sem marcação, acertou um raro sem pulo e fez um golaço.

No início do segundo tempo o Bota foi pra cima e Seedorf teve a chance de empatar o jogo mas jogou pra fora o pênalti que poderia ter mudado o destino da partida. Paciência. O jogador pediu desculpas ao grupo, mas nem precisava. É lance de jogo e ele tem muito crédito junto aos companheiros. Não vem rendendo tudo que pode, é verdade mas continua imprescindível ao ao time que ainda sonha com o título da competição.

O time ainda tentou na base da vontade mas o Cruzeiro tem um elenco muito mais qualificado e fez as substituições que acabaram por decidir o jogo. Dagoberto e Julio Batista entraram com o resultado ainda indefinido e sustentaram o domínio cruzeirense ampliando o placar pra 3 a 0. O árbitro ainda inventou um pênalti para eles encaminhando a definição do jogo.

Veja os lances decisivos da partida



Como a Raposa foi mais astuta, a Cachorrada perdeu temporariamente o seu rastro mas não duvidem de sua capacidade de reencontra-lo. O Bota já deu monstras de que pode superar o mais sórdidos obstáculos e vem fazendo um excelente campeonato. Isso nos faz crer  que os efeitos dessa doída derrota serão minimizados já na próxima rodada.

O Bota volta a campo no domingo para defender sua posição contra o Bahia, no Maraca, e tem a obrigação de vencer em casa. Enquanto isso ficaremos e olho nos adversários diante das reais possibilidades da diferença para o líder cair nas próximas rodadas. O Cruzeiro tem uma sequência dura contra Inter e Corinthians - dois candidatos às vagas do G-4, fora de casa.

Vamos pra próxima pois mostramos que temos time pra seguir nessa luta pelo título, apesar da diferença para o líder ter sido ampliada.