domingo, 22 de setembro de 2013

O Bota sentiu o golpe



Botafogo é derrotado de virada
 para o Bahia, no Maracanã
(Foto: Cleber Mendes/ LANCE!Press)
O Bota entrou "morto" em campo e assim permaneceu até o começo do 2o. tempo quando deu sinais de que poderia ressuscitar. Mesmo tendo feito um gol de falta num tiro certeiro de Edilson (30') que Lomba aceitou, não merecia o placar e muito menos dava sinais de que poderia sustenta-lo. Pelo menos esse era o sentimento da torcida que compareceu em bom número ao Maraca (25 mil), tal o domínio tático, técnico e físico do Bahia que esperava-se, antes de começar o jogo, muito mais estafado.

Nesse breve período de domínio (início da etapa complementar), o Bota teve chances de matar o jogo. Pelo menos por quatro vezes a torcida teve que engolir o grito de gol em lances com Hyuri (2), Alex e Lodeiro. Depois desse ímpeto fugaz o time murchou de novo, com a maioria de seus jogadores apresentando sinais de cansaço num claro reflexo da amarga derrota para o Cruzeiro. Disso se aproveitou o Bahia que, bem postado em campo e mostrando vontade de vencer, foi atrás do resultado. 

Depois que voltou acertadamente sem Seedorf (o que estaria acontecendo com ele?), faltou ao Oswaldo perceber a inutilidade de Lodeiro àquela altura do jogo (correu como nunca e morreu cedo, como sempre) antes que acontece o pior. Otávio, pela esquerda e Hyuri, pela direita, seriam as opções pra bloquear as jogadas mortais que Cristóvão armou pelas laterais e sustentou com as substituições que fez no segundo tempo, além da possibilidade dos dois jovens puxarem os contra-ataques. 

O técnico botafoguense demorou a perceber e levou o castigo do empate com Fernandão (36') - de novo Ele. O que já era ruim piorou de vez. Sem dar tempo para as lamentações, Obina (que havia entrado no lugar de Barbio) e mais um monte em posição irregular, deu o tiro de misericórdia (41') nas pretensões alvinegras na partida (só a vitória interessava) nas barbas do bandeirinha que nada assinalou. Parabéns ao Sr. Vuaden e Cia por terem operado o Bota em pleno Maracanã. 

Botafogo sai na frente mas leva virada para o Bahia




Foi um castigo em dose cavalar capaz de derrubar até mesmo o mais equilibrado competidor. Já são duas derrotas seguidas que de certo irão refletir no jogo decisivo de quarta-feira, contra o Flamengo, pela Copa do Brasil. Fica a dúvida de como o time irá reagir ao duro revés, mesmo que o batalha seja contra o rival carioca que anda tropeçando nas próprias pernas.