quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Seedorf: de astro principal a coadjuvante (impressões sobre o empate de ontem)



Montagem de John Angellus Holanda (facebook)
O Botafogo começou o jogo contra o Flamengo como se a partida não decidisse nada, como o próprio técnico Oswaldo de Oliveira pregou a semana toda. Entrou sonolento em campo como tem acontecido nos últimos jogos. Mostrou uma postura desinteressada, tocando bolas sem objetividades e muita lentidão na saída da defesa para o ataque. Errou um número absurdo de passes, muitos deles originando contra ataques.

Jogava como se fosse marcar gols quando bem entendesse só que encontrou do outro lado um adversário inacreditavelmente arrumado, tocando bem a bola pelo meio e com vontade de ganhar. O Fla só não decidiu a parada no primeiro tempo (abriu o placar aos 12') por incompetência de seus atacantes e por uma ou outra boa intervenção de Jefferson.

Não chutamos nenhuma bola ao gol e os caras passaram o primeiro tempo passeando na nossa área como se fosse um parque de diversões. Tanto que no intervalo, indignado, escrevi na minha time line (não moro no Rio e vi o jogo pela TV): Acorda Fogão...isso é jogo decisivo e não treino relaxante, porra!

Só louvo na partida o acerto do time feito nos vestiários com o recuo do, até então, inoperante Seedorf. Com esse novo posicionamento, quase como um volante (posição em que jogou por muito tempo no futebol europeu), o time todo encaixou, empatou o jogo num tirambaço de Edilson pela direita (12"), encurralou o adversário em seu próprio campo e teve chances de virar. Seedorf deixou o papel de astro principal da companhia para atuar como coadjuvante e a platéia aprovou. Fica a expectativa de como o craque atuara no próximo compromisso pelo Brasileirão diante da Ponte Preta, no Maraca. Oswaldo só não achou um bom lugar para Lodeiro que voltou a jogar abaixo do que pode e pouco produziu.

Depois dessa pressão alvinegra que durou até a metade da etapa complementar, os dois times deixaram de arriscar tanto e preferiram manter o resultado (1 a 1) que parecia atender aos interesses dos dois A disputa pela vaga fica adiada para o próximo confronto, em outubro (23).

Falar da má fase de Lodeiro e Seedorf já não adianta mais: precisamos deles e só jogando vão conseguir superar essa fase já que não parece ser questão física e sim inconsistência técnica. Rafael Marques parecia meio sem função ao jogar novamente como "referência" e melhorou com o novo posicionamento em campo após as modificações. "Zinedilson" marcou seu segundo gol pelo Bota e confirma sua ascensão. Já o careca Dória voltou a arrepiar os cabelos da galera ao se mandar para o ataque no final do jogo numa atitude um tanto quanto irresponsável. Nem gosto de lembrar o lance que originou o primeiro gol do Bahia que ainda está engasgado.

Em tempo: Dankler estreou bem apesar de não ter impedido o gol do adversário. Ganhamos um zagueiro forte e raçudo que não tremeu na estreia em pleno Maracanã. Com mais rodagem, pode perfeitamente substituir o general Bolivar na sequências do campeonato. O que vocês acharam a atuação dele? Deixem seus comentários...

Por @Felipaodf/Botafogodeprimeira.com