segunda-feira, 9 de setembro de 2013

O Botafogo reinventado


Continuamos perseguindo a Raposa que mantem a frente e não dá mole pro azar


Elias exaltou a qualidade do time alvinegro
(Foto: Fernando Ribeiro/Futura Press)
O primeiro turno do Brasileirão chega ao seu final com o Cruzeiro na liderança (40), quatro pontos a mais do que o Botafogo (36) que ocupa a segunda posição. Atlético-PR e Grêmio completam a lista do G-4 que não foi alterada acontecendo apenas trocas de posição.

Essa rodada, assim como as três anteriores, foi caracterizada como uma caça à Raposa já que o time mineiro vem mantendo a vantagem não sendo possível aos concorrentes diretos alcança-lo mesmo na próxima rodada. O Cruzeiro não deu chances pro azar e venceu o instável Flamengo, por 1 a 0, com certa facilidade.

A missão do torcedor alvinegro de secar os adversários, deu em água. O Fla não ofereceu resistência ao líder, no Mineirão, e o Vasco não passou de um empate sem gols contra o Furacão, mesmo jogando em casa. O Grêmio havia jogado no sábado. Venceu a Portuguesa (3 a 2) com pênalti inexistente marcado a seu favor e dormiu na segunda posição mas hoje foi dormir no quarto (lugar).

Veja nosso post de antes do jogo contra o Tigre, no Heriberto Hülse,  em que falávamos da perseguição ao líder  http://felipaodf.blogspot.com.br/2013/09/temporada-de-caca-raposa-continua.html

O técnico Oswaldo, que vem reinventando o Botafogo a cada rodada, ousou novamente ao lançar o jovem Otávio como titular depois do jogador ter entrado muito bem contra o Coxa na rodada passada. Convivendo com sucessivos desfalques - hoje não contou com Jefferson, Renan, Gabriel, Lodeiro e Seedorf - o técnico optou por lançá-lo na vaga de Seedorf, mostrando que viria pra cima do Tigre mesmo com o time "mutilado". E a aposta acabou dando certo apesar do Alvinegro ter sido surpreendido com um gol logo no começo da partida (3') o que tirou um pouco da confiança de seus comandados.

Mesmo assim o Bota dominou as ações do jogo e só não empatou no primeiro tempo por ter errado muitos passes. Otávio sentiu o peso no começo e se mostrou pouco inspirado nas jogadas de ataque enquanto Renato, já veterano, não conseguir impor seu ritmo de jogo atuando muito recuado. A consequência foi um espaço morto entre a defesa e os homens de frente obrigando Dória e companheiros a abusarem dos chutões sem que os meias aproveitassem os rebotes vindos da defesa adversária. E tome contra-ataque.

O time voltou a campo com as mesmas peças mas com outra postura mais ousada que se traduziu em superioridade técnica e domínio da posse de bola. O empate parecia eminente e depois que veio, a vitória se tornou um objetivo real a ser buscado com naturalidade. Otávio acordou pro jogo e abriu o placar (8') ao completar um cruzamento preciso de R. Marques que cruzou a área. Foi o primeiro gol do garoto (18) com a camisa do Botafogo jogando pelos profissionais como ocorrera com o jovem Hyuri (21), na rodada passada. Era a mão santa de Oswaldo, que os lançou, agindo novamente.

Oxigenado pelas entradas de Gegê, Alex e Lima, o Bota partiu pra vitória que demorou mas veio (47), num golaço de Elias ao acertar um voleio sensacional direto no gol completando lançamento de Edilson que, apesar de não ter atingido o ponto ideal, fez sua melhor partida com a camisa alvinegra até agora. A cada rodada os jogadores botafoguenses vem criando obras de arte pra figurarem na galeria dos gols mais bonitos do campeonato.

Uma coisa não podemos esquecer: perdemos muitos pontos levando gols nos instantes finais das partidas - em três delas, contra o Fla, Galo e Inter foi assim - e começamos, contra o Criciúma, a resgatá-los. Boas perspectivas pro returno que se inicia na quarta-feira, contra o Corinthians, no Maracanã, naquele que promete ser o grande jogo da rodada. Alô Torcida, é pra lotar!

Pra cima deles Fogão!