quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Enfim, uma vitória. Gegê se emocionou!



Nunca tivemos uma rodada tão favorável quanto essa e só foi assim porque conseguimos reencontrar o caminho da vitória. Nem gosto de pensar na quantidade de oportunidades jogadas fora pelo time com a sequência de jogos em casa. Mas vamos em frente...

O Cruzeiro perdeu jogando no Mineirão para o São Paulo (2 a 0). O mesmo aconteceu ao Grêmio, na Arena, que caiu diante do Criciuma (2 a 1). Por sua vez, o Atlético-PR não passou de um empate contra Corinthians (0 a 0) e todos os postulantes a uma vaguinha no G-4 não avançaram em suas pretensões como foi o caso do Atlético-MG, Vitória, Santos e Corinthians - o Inter joga hoje contra o Flamengo. Com isso houve uma reorganização no G-4 com o Bota trocando de posição com o Furacão. A Raposa ficou nos 59 em primeiro e Grêmio com 48, em segundo. O Botafogo somou 46 assumindo o terceiro e deixou o Atlético-PR com 45, em quarto.

Vencemos depois de seis jogos sem vitórias - cinco pelo Brasileiro e um pela Copa do Brasil - e quem pagou o pato foi o Timbu, em casa. O Bota jogou com inteligência e tornou o jogo mas fácil do que se imaginava. Apesar de ter levado o primeiro gol (Maikon Leite aos 9') numa falha de Renan depois que o meia Seedorf perdeu disputa de bola no meio, o time não se abalou e partiu em busca do empate. 

Dois de nossos principais artilheiros, R. Marques e Seedorf, desencantaram. O primeiro marcou o gol de empate (25') depois de passar em branco por 11 jogos e o segundo marcou o da virada (39'), depois de 13 jogos sem marcar. Isso nos dá alento e sinalizam que as coisas começam a mudar.

Seedorf voltou a jogar bem depois de longo tempo atuando abaixo de suas possibilidades. Conduziu o time à reação, fazendo assistências importantes e marcando seu gol. Um golaço, diga-se de passagem. Com a movimentação dele, que jogou mais livre de marcação, todo o time subiu de produção.

Um capítulo a parte para Gegê. O garoto entrou no segundo tempo pra acertar a marcação pela esquerda justamente quando o Náutico veio todo pra cima na tentativa do empate. Além de cumprir bem a função, marcou o seu primeiro gol com a camisa do Botafogo no final do jogo (45'). Recebeu uma bola da linha de fundo tocado com precisão por Edilson e com calma deu um tiro rasteiro no gol, completando uma grande jogada. O menino chorou de emoção, foi acalentado por todos e me comoveu.

Veja o gol




É disso que o Bota precisa; é isso que move a paixão do torcedor pelo futebol. Parabéns Gegê... Parabéns Fogão que, agora revitalizado por uma vitória importante, enfrenta o rival rubro-negro, no domingo, pra confirmar a virada de página.

Saudações a todos!


Por @Felipaodf/Botafogodeprimeira.com