domingo, 27 de outubro de 2013

O carrinho de Seedorf


Nada melhor do que enfrentar um freguês de caderno para afastar a possibilidade de crise




Botafogo bate o Atlético-MG no 
Rio e assume terceira colocação 
(Foto: Ricardo Ramos/ LANCE!Press)
Foi uma boa vitória do Fogão. O time alvinegro deu mostras que vai se recuperando do duro golpe de quarta-feira pela Copa do Brasil. Voltou a vencer no Brasileirão depois de duas rodadas - derrota para o Vitória e empate com o Vasco. Ainda vai demorar pra torcida esquecer a eliminação vexaminosa na competição nacional, diante do maior rival e sem esboçar qualquer reação, quando a chance de chegar às finais era real. Mas a vida continua e o que nos resta agora e assegurar a vaga no G-4 que pode nos levar à competição continental - uma espécie de compensação diante do fracasso pela busca dos dois títulos nacionais.

E nada melhor para Alvinegros do que enfrentar o Atlético-MG em momentos de pré-crise. Ainda bem que a bendita escrita contra o Galo, que não vence o Glorioso no Maracanã já dura 27 anos (8 partidas), continua. Com esse jogo, foram 4 confrontos diretos com 2 vitórias do Glorioso e 2 empates. Com o resultado, o Bota assumiu a 3a. posição na tabela com 53 pontos, a mesma pontuação do Grêmio que está em 2o. com um gol a mais de saldo. Caso o time gaúcho e o Furacão não vençam seus jogos no domingo, o Bota assume a vice-liderança e dá mais um passo para a conquista dessa vaga.

O jogo foi equilibrado com mais posse de bola do Botafogo e poucas jogadas de ataque. Mesmo assim, levamos mais perigo ao gol adversário. Na primeira delas, Alex perdeu gol feito ao chutar pra fora demonstrando nossa absoluta carência nessa posição em toda a temporada. Em outra jogada o Bota só não abriu o placar porque o zagueiro atleticano tirou a bola em cima da linha. Edilson era nossa melhor opção de saída de bola e quase marca batendo falta que tirou tinta do travessão de Vitor.

No 2o. tempo finalmente saiu o gol (6'/2o.T). Julio Cesar, que fez boa partida, tabelou com Gabriel dentro da área e chutou duas vezes até marcar. Em desvantagem no placar, o Galo veio pra cima mas sem muita inspiração. Perdemos várias chances de matar o jogo nos contra-ataques por falta de capricho no passe final, um erro recorrente do time nos últimos jogos. Lá atrás, Mattos, Bolivar e Dória seguraram o ímpeto dos atacantes atleticanos que, quando levaram vantagem, pararam nas mãos de Jefferson, novamente um "paredão".

De tudo, há de se destacar um lance que arrancou aplausos da "multidão" (apenas 6,5 mil pagaram pra ver o jogo). Falo de um carrinho de Seedorf na lateral do campo que deu bem a dimensão da disposição do meia e do time em vencer o jogo. Seedorf voltou a vibrar em campo, resgatando aquela vontade de vencer do começo de temporada e que faltou na fatídica derrota de quarta-feira. O meia fez uma boa partida (nada de excepcional) e saiu aplaudido (23'/2o.T), substituído por Lodeiro. No final, o holandês elogiou a capacidade de reação do time e a união pela vaga na Libertadores.

Veja os melhores momentos da partida