sábado, 5 de outubro de 2013

Quem pode explicar II



O mistério continua





Escrevíamos após a derrota contra a Ponte, em pleno Maracanã, que definitivamente o Botafogo não gostava de seguir roteiros pré-estabelecidos. Parecia claro a todos que os dois compromissos iniciais da sequência de jogos que o time faria em casa, contra Bahia e Ponte Preta, eram ideais para esquecer a derrota para o Cruzeiro e tentar se aproximar do líder. Custava aos jogadores alvinegros se concentrarem nessa missão perfeitamente possível e ganharem esses jogos em casa como estava escrito no script?

Como se vê, a situação após aquelas derrotas era caótica e não passava pela cabeça do torcedor que ela ainda poderia aumentar tão dramaticamente. Pois bem, depois de um empate (1 a 1) sem graça no clássico contra o Fluminense no meio de semana que, se não foi um grande resultado, pelo menos interrompia a sequência de três derrotas seguidas (a maior dessa temporada), o Botafogo voltou a decepcionar sua torcida ao ser derrotado pelo Grêmio (1 a 0), mesmo com o time gaúcho jogando desde o fim do primeiro tempo com um jogador a menos (Kleber foi expulso), de novo em casa. Essa era um partida estratégica para o time já que estava em jogo a disputa pela vice-liderança do campeonato. O Bota poderia retomar a posição em caso de vitória e agora, com mais essa derrota melancólica, só Deus sabe o que pode acontecer na sequência do campeonato.

O time não só deixou de vencer aqueles compromissos como foi derrotado sem conseguir praticar um futebol minimamente razoável que pudesse merecer sair com melhores resultados, inclusive hoje contra o Grêmio que foi superior taticamente.

Vivemos uma situação inexplicável que já não encontra amparo nas justificativas do treinador alvinegro quando atribui a queda de rendimento somente ao cansaço e a falta de tempo para treinar já que essas circunstâncias afetam todos os demais competidores que não dispõem, como o Alvinegro, de elencos numerosos. O time do primeiro turno sumiu depois que os salários foram colocados em dia e só alguém que vive e conhece o dia-a-dia do clube pode explicar o que está acontecendo. Alguém aí está disposto?

É uma queda vertiginosa de rendimento que envergonha a torcida e fizeram com que o treinador Oswaldo de Oliveira deixasse o campo, ao final do jogo, passando mal a ponto de necessitar cuidados médicos de emergência. A torcida, que já viu esse filme outras vezes, sabe onde tudo isso pode parar. As esperanças de disputar a próxima Libertadores vai se esvaindo numa velocidade espantosa. Jogadores experientes como Seedorf, Lodeiro e Rafael Marques estão jogando muito abaixo de suas possibilidades a ponto de saírem de campo vaiados e o time já não tem a quem apelar.

Lamentável, tudo isso.

Por @Felipaodf/Botafogodepriemira.com