sábado, 12 de outubro de 2013

Vamos pra cima deles


GUIA DA RODADA #28: três grandes clássicos movimentam o campeonato. Após rodada de resultados improváveis, tabela fica mais achatada, e jogos do fim de semana ganham ainda mais importância




Oito dos dez jogos da última rodada tiveram vitória do time pior colocado sobre o time melhor colocado. As exceções foram Náutico 1 x 3 Botafogo e Corinthians 0 x 0 Atlético-PR. De resto, foi um festival de improbabilidade, se é que algo pode ser considerado provável ou improvável neste campeonato. A consequência dos resultados foi uma tabela ainda mais achatada. (...) A matemática, fria que é, avisa que o rebaixamento pode ser um risco para uns 70% dos times. E isso torna ainda mais importante a rodada deste fim de semana - uma rodada de grandes clássicos.

Os três duelos regionais são no domingo. Destaque para o jogão entre Atlético-MG e Cruzeiro. Apesar da derrota para o São Paulo, a Raposa segue com vantagem de 11 pontos na liderança, e o Galo tenta atrapalhar o máximo possível a caminhada do rival. São Paulo x Corinthians e Botafogo x Flamengo são os outros clássicos.

A rodada tem mais jogos determinantes para o alinhamento da tabela. Vale ficar de olho em Fluminense x Grêmio, partida que interessa às duas pontas da tabela, e para o duelo entre Criciúma e Vasco, concorrentes diretos na luta contra a queda.

Comentários do blogueiro: Essa é a proposta do site da globo para os jogos da rodada e a cada semana destacamos aqui apenas a análise relativa ao do Botafogo que é o que nos interessa.

BOTAFOGO x FLAMENGO
DOMINGO, 18H30M - MARACANÃ

O clássico do próximo dia 23, valendo vaga nas semifinais da Copa do Brasil, é antecedido pelo encontro deste domingo, no Maracanã, em jogo de importância semelhante. O Botafogo deu sinais de que pode retomar as rédeas de seu futebol ao vencer o Náutico por 3 a 1, fora de casa, na última rodada. Tão importante quanto o resultado foi a recuperação de Seedorf. Vaiado na partida anterior, a derrota de 1 a 0 para o Grêmio, ele fez um gol e deu o passe para outro em Pernambuco. O resultado foi essencial, especialmente por ser em uma rodada em que os times do bloco de cima patinaram. Com isso, os alvinegros ganharam uma posição e subiram para terceiro.

No Flamengo, o momento também é de empolgação. A sétima colocação conquistada com a vitória sobre o Inter é o melhor posto rubro-negro no campeonato. São cinco jogos sem derrotas - o único time do Brasileirão com essa sequência, contabilizadas as últimas rodadas. Nove pontos separam as duas equipes na tabela - 46 a 37. Apesar do crescimento, porém, cabe alertar que o Fla segue mais próximo do Z-4 (cinco pontos) do que do G-4 (oito pontos).

Na TV: Premiere FC, com Roby Porto e Edinho.

Arbitragem: Grazianni Maciel Rocha (RJ), com Wagner de Almeida Santos (RJ) e Luiz Antônio Muniz de Oliveira (RJ).

Você sabia que...: Jairzinho é o único jogador na história dos confrontos entre Botafogo e Flamengo em Campeonatos Brasileiros a marcar três gols em uma mesma partida? O feito histórico do atacante aconteceu na goleada botafoguense por 6 a 0 em 1972.


Comentários do blogueiro: Na rodada passada (27a.) o Botafogo, que ocupava o quarto lugar na tabela, foi a Recife enfrentar o Náutico, o lanterna do campeonato. Apesar da absurda diferença na pontuação (43 contra 17) e de objetivos na competição, as duas equipes faziam campanhas parecidas no 2o. turno, sendo difícil prever o resultado. Torcíamos (no post de pré-jogo) para que as coisas se encaixassem nesse jogo e voltássemos ao Rio para jogar o clássico revigorados por uma vitória. E foi o que acabou acontecendo.

Nunca tivemos uma rodada tão favorável quanto essa, e só foi assim porque conseguimos reencontrar o caminho das vitórias depois de uma sequência vergonhosa de tropeços em casa.

O Cruzeiro perdeu para o São Paulo (2 a 0), mesmo jogando no Mineirão. O mesmo aconteceu com o Grêmio que caiu diante do Criciuma (2 a 1), na Arena. Por sua vez, o Atlético-PR não passou de um empate contra Corinthians (0 a 0) e todos os demais postulantes a uma vaga no G-4 não avançaram em suas pretensões. A Raposa ficou nos 59, em primeiro e o Tricolor gaúcho em segundo, com 48. O Botafogo somou 46 e assumiu a terceira posição, ultrapassando o Atlético-PR que permaneceu com 45.

Vencemos depois de seis só de empates e derrotas - incluindo o empate (1 a 1) contra o rival desse fim de semana, em jogo válido pela Copa do Brasil. O Bota atuou com inteligência e tornou o jogo menos complicado do que se previa. Mesmo sofrendo o primeiro gol, marcado por Maikon Leite (9') num lance em que o goleiro Renan falhou, o time não perdeu o controle e seguiu firme em busca do resultado.  

Rafael Marques e Seedorf se movimentaram muito e voltaram a balançar as redes adversárias. O primeiro, marcando o gol de empate (25'), depois de 11 jogos e o segundo, o gol da virada (39'), depois de 13 jogos sem marcar.

Seedorf voltou a jogar bem depois de longo tempo atuando abaixo de suas possibilidades. Mesmo tendo perdido a disputa de bola que deu origem ao gol do Náutico, o meia conduziu o time à reação fazendo assistências importantes e marcando um golaço em chute da entrada da área.

Com a vantagem estabelecida, o Alvinegro passou a administrar o resultado. O meia Gegê, que havia entrado no segundo tempo, ainda teve tempo de marcar o seu primeiro gol com a camisa do Botafogo, aos 45'. Recebeu uma bola da linha de fundo de Edilson que foi muito bem na partida e concluiu sem chances para o goleiro.  A vitória em Recife por 3 a 2 devolveu aos jogadores, aquela confiança de antes que faltou nos últimos jogos.

Para o clássico de domingo vamos com tudo pra cima do rival pra confirmar a recuperação do bom momento do time e de Seedorf, revigorados pela vitória fora de casa. Deve dar bom jogo porque o adversário está inflado com os últimos resultados e mira o G-4, apesar de estar mais próximo do Z-4. Eles sempre foram assim e não há nenhuma novidade; otimistas ao estremo mesmo quando não devem. Já os botafoguenses, mesmo com o time brigando no G-4, preferem desconfiar de tudo achando que alguma coisa (ainda) pode dar errada. A torcida deveria comparecer mais aos jogos e compartilhar desses momentos do time.

Não contaremos com Jefferson e Lodeiro que continuam a serviço de suas seleções. Gabriel continua de fora se recuperando assim como Elias que voltou a sentiu a lesão. Renato, que fez boa partida na quarta e Renan, que começou o jogo nervoso e depois se recuperou, permanecem no time. As opções para recompor o time são Hyuri, Otávio e Gegê para o meio e Henrique, Alex e Bruno Mendes para o ataque. Oswaldo deve comandar o time a beira do campo depois da ausência no jogo do Náutico. Ele ainda não sabe que time mandar a campo e transformou a dúvida em mistério.

Escalações

BOTAFOGO: Renan, Edilson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos e Renato; Octávio (Hyuri ou Gegê), Seedorf e Rafael Marques; Henrique (Alex ou Bruno Mendes). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Chicão, Wallace e João Paulo; Amaral, Elias, André Santos e Carlos Eduardo (Luiz Antonio); Paulinho e Hernane. Técnico: Jayme de Almeida.

Por @Felipaodf/Botafogodeprimeira.com