sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Bota e Inter fizeram um jogão no Maraca pelo 1o. turno. Quem lembra?


*Texto baseado no post publicado no blog do Felipaodf, em 17/08/2013 no pré-jogo contra a Portuguesa, logo após o jogo contra o Inter, no Maracanã.


Na 14a. rodada do Brasileirão, os torcedores de Botafogo, Cruzeiro e Coritiba acompanhavam a alternância da liderança entre os três primeiros colocados. Várias foram as oportunidades que cada um desses times tiveram para colocar frente sobre os concorrentes nas últimas rodadas. Mas na hora H, sempre falhavam perpetuando essa situação. 

Nessa regularidade com viés de baixa, o Bota já não vence há três jogos e o pior, em dois deles - contra Galo e Inter, entregou vitórias certas no minuto final. Por isso nossa missão continua a mesma da rodada passada: torcer pela vitória botafoguense e secar os concorrentes diretos pela primeira posição. Na rodada de meio de semana deu certo e reconquistamos a liderança do campeonato, apesar do gosto amargo do resultado (1 a 1 com o Goiás, em Brasília).

Como previsto no nosso post do pré-jogo "A briga pela liderança continua: Que venha o Inter!!", assistimos a um jogão daqueles de tirar o fôlego.  Clique no link e veja http://felipaodf.blogspot.com.br/2013/08/a-briga-pela-lideranca-continua-que.html .

Foi um duelo entre duas grandes equipes, cada uma com seu jeito próprio de jogar. Se alternaram no domínio da partida mostrando um equilíbrio que se refletiu inclusive no placar (3 a 3). 

Vitinho foi o nome do jogo. Marcou dois gols (9'/1o.T e 29'/2o.T) e foi dele a assistência para que R. Marques sofresse o pênalti que Seedorf converteu (19'/2o.T). Pelo lado do Inter, o quarteto formado por D'Alessandro, Alex, Scocco e Damião jogou em alto nível. O atacante argentino fez seus dois primeiros gols com a camisa do Colorado (32' e 33'/1o.T) e Fabrício igualou o placar no minuto final (48'/2o.T).

Apesar do resultado ter frustrado os torcedores que foram ao Maraca (cerca de 11 mil), o Bota mostrou força pra buscar o resultado depois de sair na frente e levar a virada com dois gols em incríveis 48 segundos. Foi um apagão daqueles de dar medo e derrubar o moral da rapaziada. E foi com esse espírito de derrota que o grupo desceu para os vestiários. 

Mesmo sem mudar jogadores, o Bota voltou a campo rejuvenescido dando sinais de que iria buscar o resultado. No início abusou das bolas alçadas na área adversária que foram, uma a uma, dominadas pela bem postada defesa colorada. Essa, definitivamente, não era a melhor estratégia para conseguir a virada no placar. 

A coisa começou a mudar quando o time voltou a colocar a bola no chão, com troca de passes na intermediária e constante movimentação dos meias e atacantes lá na frente. Numa dessas, Seedorf ocupava o lado esquerdo e permitiu uma movimentação de Vitinho pelo centro. O jovem lançou Rafael Marques dentro da área em condições reais de marcar e Muriel barrou o lance com falta. Seedorf bateu o pênalti com convicção. Era o gol de empate tão esperado. 

Não satisfeito e empurrado pela torcida, o Bota partiu pra virada. Ela chegou aos 30', num golaço de Vitinho que, antes da linha da área, arriscou um chute mágico pelo alto que resvalou no travessão antes de entrar.

Daí em diante o jogo seguiu muito truncado até seu final. O Bota tentando administrar o resultado e o Inter buscando o empate na base do abafa. O drama botafoguense se consolidou quando no lance final da partida, uma desatenção coletiva em cobrança de escanteio permitiu que o jogador do Inter desviasse a bola já dentro da área. Fabrício escorou a bola pro gol, após rebatida de Renan. Um enorme castigo para o time que merecia o resultado e desespero para a torcida que já comemorava a vitória. Mais dois pontos jogados fora que poderiam dar a distância necessária para o 2o. colocado. 

Só pra lembrar, esta foi a terceira vez que o Botafogo deixou uma vitória escapar no final do jogo. O mesmo já havia ocorrido contra Flamengo e Atlético-MG. São 6 pontos jogados fora, só nessa condição. É uma falha recorrente que precisa urgentemente ser corrigida. É difícil de aguentar, mas vamos em frente... 

Veja os melhores momentos da partida:

Os times formaram com:

BOTAFOGO: Renan, Edilson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel, Seedorf, Vitinho (Lucas Zen) e Rafael Marques; Elias (Alex)
Técnico: Oswaldo de Oliveira

INTERNACIONAL: Muriel, Jorge Henrique, Ronaldo Alves, Juan e Fabrício; Ygor, Willians, Alex (Otávio) e D'Alessandro; Scocco e Leandro Damião
Técnico: Dunga

Por @Felipaodf/Botafogodeprimeira.com