quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Cadê o cara pra decidir o jogo?


Botafogo empata com a Portuguesa e deixa o G4
(Foto: Paulo Sérgio/ LANCE!Press)
O time alvinegro não mostrou nenhum padrão tático ontem e fez um jogo tecnicamente muito fraco contra a Portuguesa a exemplo do que havia ocorrido contra Goiás e Internacional, quando saiu derrotado. Se valeu apenas da vontade pra criar algumas oportunidades de gol que não foram convertidas por falta de categoria de seus "atacantes" e pouca convicção nos arremates. O goleiro Lauro defendeu duas ou três bolas difíceis enquanto outras foram perdidas por pura precipitação. Edilson bateu duas faltas com perigo cujos rebotes não foram aproveitados. Parecia lógico o placar de 0 a 0.

O descredito da torcida é geral depois do resultado frustrante que tirou o time do G-4, depois de uma sequência de 29 partidas . Passou a semana protestando, apoiou o time todo o tempo de jogo e depois, voltou a demonstrar sem descontentamento, inclusive na saída dos jogadores do estádio.

Eu ainda tinha esperanças de que o pávido treinador Oswaldo, que está ao lado do grupo todo o dia, descobrisse nesse elenco degradado algum jogador com alma, categoria e vontade para decidir uma partida como aconteceu muitas vezes no 1o. turno, quando da saída de Felipe Gabriel, com Vitinho. Em outras oportunidades, Elias e o próprio Hyuri chegaram a decidir jogos com gols memoráveis. Mas parece que a fase não é boa e a fonte secou assim como a própria motivação do treinador em descobrir esse cara.

Um cara que, naquele dia específico esteja com um brilho diferente nos olhos e seja capaz de suar sangue numa partida em busca do resultado - 15 minutos que fosse. Um cara que o treinador convoca para entrar na partida e diz: você vai fazer o gol da vitória...você vai decidir o jogo. Definitivamente, não é o caso de Hyuri, Bruno Mendes, Henrique, Alex ou Sassá - ainda não. E parece que Oswaldo nunca falou isso pra nenhum deles, por faltar convicção.

Oswaldo de Oliveira, pela "atuação" à beira do campo (braços cruzados e mirando seu relógio a cada 5 minutos) e pelas últimas entrevistas concedidas após os jogos, demonstra estar cansado de tudo, sem força pra buscar uma reação. Está vendo o barco afundar e parece que vai morrer junto abraçado às suas desgastadas convicções.

Depois dessas atuações bisonhas e dos lances bizarros de ontem protagonizados por Seedorf, Dória, Marcelo Mattos e Cia, não há explicação que não seja um racha no grupo que o técnico já não tem como contornar.

Diante desse circo de horrores, só um milagre para nos salvar... Vamos nos apegar nele!

Por @Felipaodf/Botafogodeprimeira.com