sábado, 14 de dezembro de 2013

Os desafios do Botafogo na Libertadores



Como todos sabemos, o Botafogo vai encarar o Deportivo Quito, do Equador, na fase de pré-Libertadores. Quem sair vencedor dessa disputa irá integrar o Grupo 2 da competição onde figuram o Unión Española  do Chile, San Lorenzo ou Lanús da Argentina e o Independiente José Teran, time do Equador.

A partida de estreia, no dia 29/01, será no Estádio Olímpico Atahualpa que fica a 2.850 metros de altitude e tem capacidade para 40 mil torcedores. A partida de volta, no dia 06/02, está programada para o Maracanã.

O técnico do time adversário elogiou o Botafogo e admite que serão dois jogos complicados, porém não considera impossível vencer. Informou que o Deportivo enfrenta dificuldades financeiras e que em razão disso não poderá contar com vários jogadores que deixaram o clube recentemente, como foi o caso Nieto, artilheiro da equipe.

Por outro lado, o médico cardiologista Nabil Ghorayeb em entrevista ao Lance, falou dos problemas de se jogar na altitude como a da cidade de Quito. O principal deles é que o oxigênio é mais rarefeito e os jogadores se cansam mais rapidamente o que daria uma vantagem natural ao clube anfitrião. Porém, informou que esse efeito pode ser minimizado com um período de adaptação de cinco dias no local do jogo.

A tendência é que jogadores mais experientes, como é o caso de Seedorf, Renato e Bolivar do Botafogo, sofram mais com o problema. Já os jogadores do Deportivo Quito, por estarem acostumados a treinar e a jogar na altitude, terão cerca de 20% a mais de gás quando vierem jogar no Rio.

Vamos aguardar o planejamento do Botafogo para 2014 que deverá contemplar todos esses aspectos se quiser passar de fase na Libertadores, seu primeiro desafio do novo ano, lembrando que o clube está sem técnico e mandou embora grande parte de equipe de preparadores.


Por @Felipaodf/Botafogodeprimeira.com