segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

O peso da Camisa 10!



O fato de Renato ter jogado com a camisa 10, sábado, na estreia do Botafogo no Campeonato Carioca "comandando" um time de garotos dos quais apenas o zagueiro Dória e o volante Gabriel eram titulares do time principal abriu uma questão sobre quem deve vestir essa camisa na temporada 2014, com a atual realidade do grupo.

O então volante Renato entrou em campo orientado por Hungaro pra jogar mais adiantado fazendo a armação das jogadas, supostamente desempenhando a função que cabia a Seedorf no esquema de meias flutuantes implantada por Oswaldo que, no geral, funcionou bem com Rafael Marques e Lodeiro na temporada passada. O jogador não brilhou nessa função mas assinalou o gol único do time no empate de 1 a 1 contra o Resende.

Renato terminou 2013 na reserva e admitiu hoje que, apesar de se sentir honrado em vestir a 10, prefere continuar com a camisa 8 que recebeu das mãos de Gérson - o canhotinha de ouro, quando o volante chegou ao Botafogo no meio da temporada de 2011, com status de craque.

Ainda acho que merecíamos uma reposição para a posição à altura da categoria de Seedorf, o último craque a envergar a nossa camisa 10. Jorge Wagner, o possível herdeiro da camisa e função que o holandês exercia no time vai precisar de tempo pra se ajustar ao modo do Botafogo jogar e se readaptar ao futebol brasileiro, comparável ao que sofreu R. Marques quando chegou do Japão.

Diante dos fatos e a menos de dez dias da estreia na Libertadores, estamos preocupados com a inércia da diretoria em preencher a enorme lacuna que se abriu com a saída de Seedorf e perguntamos: Onde está o nosso 10? A torcida terá paciência pra esperar J. Wagner engrenar nessa função?

Palavra aberta aos torcedores e, principalmente, à Diretoria, responsável direta pela decisão.