domingo, 10 de agosto de 2014

Nada mudou e fomos parar na zona




Mesmo com as modificações possíveis, nada mudou no Botafogo do 2o. tempo. Continuamos jogando sem referência na área e fomos uma presa fácil para o Atlético Paranaense, que jogou em casa sem torcida e se mostrou um time apenas aplicado.

Com os resultados da 14a. rodada, perdemos uma posição na tabela e, com os mesmos 13 pontos de antes, vamos passar a semana do clássico contra o Flores na zona de rebaixamento em companhia de Baêa, Fla e Coxa.

O Botafogo até que começou bem o jogo. Exerceu uma marcação forte na frente e manteve o controle das ações nos primeiros 25 minutos da partida sem, no entanto, levar perigo à meta adversária. Com isso, o Atlético equilibrou o jogo e produziu a melhor chance de gol até então, em cabeçada de Cléo escorando cruzamento da direita que parou nos pés de Jefferson. 

Diante na ineficácia do esquema alvinegro que não agride ninguém, o Furacão passou a dominar as ações e chegou ao gol no finalzinho do 1o. tempo num cruzamento pelo alto de Natanael, da esquerda para o meio da área onde Jefferson exitou em sair na bola e Dória, novamente chegando atrasado, deixando o atacante Cléo completar o lance, abrindo o placar (45'/1°T)

Não adiantou torcer para que as coisas mudassem no 2o. tempo com um possível melhor posicionamento da equipe em campo O sonho do empate foi se desfazendo aos poucos diante da falta de qualidade individual e coletiva do elenco alvinegro. Alguns vão dizer que faltou sorte, mas...

A essa altura, era difícil acreditar numa reação com o time jogando sem uma referência de área. No 1o. tempo, Sheik e Rogério estavam muito distantes um do outro e os dois, igualmente distantes da área. Desse jeito, só sairia gol se fosse de bola parada. Com as substituições ainda criamos algumas chances, mas nada de excepcional, que pararam nas mãos de Weverton.

Veja os melhores momentos






No finalzinho (46'/2°T), o Atlético ainda fez mais um com o artilheiro Douglas Coutinho, que recebeu lançamento numa jogada de contra-ataque, passou por Jefferson e colocou pra dentro (2 a 0).

Já nem sei se é pra lamentar, mas vamos à Brasília enfrentar o Flu sem Dória e sem Emerson Sheik suspensos, e com a pressão aumentada, e muito, de ter entrado na zona de rebaixamento. Haja força pra sair desse buraco!


Por @Felipaodf/Botafogodeprimeira.com