sábado, 20 de setembro de 2014

Com qual time que eu vou?



Montagem do BotafogoOficial
 (internet)
Três dias após a lambança de Sheik e Cia. contra o Bahia, o Botafogo volta a campo para enfrentar o Criciuma (21h), no Heriberto Hulse-SC, sem ao menos sabermos qual a escalação da equipe.
Passando uma vista nos jornais de hoje, o que encontramos são divergência sobre qual a formação que vai a campo, já que Mancini não dispõe de muitas opções para remediar os estragos deixados com a derrota por 3 a 2, no Maraca.

Além de Emerson Skeik, Ramírez e Julio Cesar expulsos no jogo de quarta, estão fora ainda Bolívar e Gabriel, suspensos pelo 3o. amarelo e Edílson, M. Mattos e Carlos Alberto que seguem em recuperação de lesões e nem viajaram.

Segundo o Globoesporte, o técnico pode até mesmo promover a reestreia do lateral Lennon, que ainda não atuou pelo clube após voltar de empréstimo do Atlético-GO, por causa de uma lesão. Nesse caso, o time deveria começar com a seguinte formação: Jefferson, Lennon, Dankler, André Bahia e Junior Cesar; Airton, Bolatti e Zeballos; Rogério, Yuri Mamute (Sidney) e Ferreyra.

Já o Lancenet aposta na seguinte formação: Jefferson, Dankler, Matheus Menezes, André Bahia e Junior Cesar; Airton, Rodrigo Souto e Bolatti; Rogério, Wallyson e Zeballos, um time muito diferente do primeiro.

Conclusão, vamos com o que sobrou do fiasco de quarta, quando o Bota vencia o jogo por 2 a 1 até a metade do 2o. tempo e levou a virada para 3 a 2, depois de um descontrole descabido de alguns jogadores com consequências danosas ao clube, tanto para esse jogo como para a sequência do campeonato. A expectativa era de uma vitória, considerando a importância da partida para a colocação na tabela - uma verdadeira decisão que valia 6 pontos. Veja nosso post alertando para a importância de uma vitória em casa sobre o tricolor baiano, que não veio: O-botafogo-volta-ao-maracana-nesta.html


Os adversários de hoje tem o mesmo objetivo nessa altura do campeonato - sair do Z-4. Ambos estão com 22 pontos e a diferença entre eles na tabela (19a. e 17a. posições) se dá pelo número de vitórias. O Alvinegro carioca tem seis, uma a mais que os catarinenses.

Assim como o jogo contra o Bahia, o confronto de hoje é mais uma decisão de 6 pontos. Além de somar 3 com a vitória, impede um concorrente direto de fazê-lo. Quem vencer, coloca a cabeça fora do buraco e começa a enxergar novos horizontes já que a diferença entre o 20o. e o 14o. colocado é de apenas 2 pontos.

O Bota vem de quatro derrotas consecutivas no seu pior momento na competição e uma vitória hoje daria alento ao grupo para a sequência do campeonato, apesar do Criciuma não ser mais aquele time que foi goleado pelo Alvinegro por de 6 a 0, no Rio. Em caso de nova derrota, seria o caos para o Bota.

Em tempo: Com a onda de reclamações generalizadas contra o baixo nível das arbitragens no Brasileirão, tanto quanto à falta de preparo dos árbitros e auxiliares, quanto à ausência de critérios de interpretação - alvo, inclusive, do desabafo insano de Emerson Sheik que resolveu, de uma hora para outra e no momento mais inoportuno para o clube, se transformar no paladino da moralidade do futebol brasileiro - circunstâncias que tem favorecido seguidamente algumas equipes em detrimento de outras na competição, é bom ficar atento quanto a atuação do árbitro de hoje, já que o Bota vem sendo seguidamente prejudicado com a escalação de estreantes e descompromissados com o espetáculo. O escolhido é o "experiente" Wilton Pereira de Sampaio (FiFA), o mesmo da confusão do jogo do Aranha, entre Grêmio x Santos, pela Copa do Brasil.

Pra cima deles (com calma), Fogão!