terça-feira, 9 de setembro de 2014

Reage Fogão: por um returno melhor




Depois da derrota sofrida para o Galo no Independência por 1 a 0, no último domingo, o Botafogo volta a campo nesta quarta para encarar o São Paulo, no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasilia, abrindo o 2o. turno do Campeonato Brasileiro.

Com o revés em Minas, o Alvinegro permaneceu com os mesmos 22 pontos conseguidos em 19 rodadas e perdeu uma posição, caindo para 14o. na tabela. Dessa forma, interrompeu uma boa sequência de vitórias contra Chape, Santos e Ceará - as duas primeiras pela Brasileirão.
Essa posição incômoda, muito próxima da zona da degola, se deve, principalmente, ao péssimo rendimento do time nos jogos fora de casa. Como visitante foram oito derrotas, um empate e apenas uma vitória - contra o Palmeiras, no longínquo mês de maio, válido pela 8a. rodada.

Veja o panorama do Botafogo após o jogo de estreia no campeonato, contra o mesmo São Paulo, que bem pode explicar a situação do time na atualidade: 
http://felipaodf.blogspot.com.br/2014/04/uma-crise-sem-data-para-acabar.html

No encerramento do 1o. turno, com o time muito desfalcado - Jefferson, Edilson, Airton, Daniel, Sheik, Bruno Correa e ainda com o zagueiro Dankler improvisado - o Botafogo vinha fazendo um jogo equilibrado contra o Galo também muito desfalcado, mesmo jogando no terreiro adversário.

Apesar da falta de ritmo de Zeballos que jogou numa posição estranha, flutuando no ataque, as presenças de Rogério pela direita e Wallyson pela esquerda davam suporte à marcação.

Tudo ia muito bem até que aos 13 minutos Rogério teve que ser substituído. O atacante ficou grogue ao bater com o rosto no chão depois de um choque de cabeça violento com o zagueiro Edcarlos, sendo substituído por Yuri Mamute. Rogério ficou em observação e não precisou ser hospitalizado mas está fora do confronto contra o São Paulo. Com poucas chances de gol para os dois lados no 1o. tempo, o placar não saiu do 0 a 0.



No comecinho da etapa complementar aconteceu o fato que mudaria o destino do jogo. O zagueirão Dankler, que atuava improvisado na lateral foi expulso depois e levar o 2o. amarelo numa decisão muito rigorosa do árbitro da partida. 

Em desvantagem numérica o Botafogo cedeu terreno ao Galo, que insistindo na jogada característica pelo alto, abriu o placar aos 24 minutos, com Leonardo Silva escorando de cabeça uma cobrança de escanteio que deixou o goleiro Andrey sem reação. Ficou a impressão de que se tivéssemos Jefferson no gol, a defesa seria perfeitamente possível de ser realizada.

O Atlético se aproveitou bem da ausência de Dankler que era o homem escolhido por Mancini pra marcar essa jogada. Fato é que o gol saiu um minuto antes do árbitro ignorar uma falta clara do lateral atleticano sobre Mamute que invadia a área com perigo na frente do bandeirinha e do "auxiliar" de linha que nada assinalaram e mandaram seguir o jogo.



Com menos um jogador e o placar adverso, Mancini deslocou o volante Gabriel para a lateral e fez entrar Rodrigo Souto no lugar do apagado Zeballos pra tentar a reação. Com o jogo mais aberto, o atacante Wallyson apareceu bem no final e quase empata num chute forte de frente para gol que saiu rente ao travessão de Vitor.


O Galo teve chances de ampliar mas Andrey apareceu bem e impediu, se redimindo das últimas atuações quando deixou a desejar. O goleiro mostrou arrojo ao sair do gol para interceptar um passe e na sequência do lance, salvou um chute de letra dado por Jô, mostrando evolução.

VÍDEO Com menos um, Botafogo não consegue segurar o Atlético-MG






O adversário dessa quarta vem muito bem na competição com quatro vitórias e um empate nos últimos cinco jogos. Ocupa a vice-liderança com 36 pontos, sete a menos do que o líder Cruzeiro. Deve vir pra cima com tudo comandado por Kaká, Ganço, Kardec e Pato, tentando manter a posição.

Já o Bota não contará com Bolatti e Ramírez que cumprem suspensão, além de Dankler que fica de fora pela expulsão. Em compensação, Edilson, Sheik e possivelmente Airton voltam ao time o que pode equilibrar a situação.

Até ontem, cerca de 9,5 mil ingressos haviam side vendidos apesar dos preços exorbitantes cobrados pela empresa que comprou o jogo para um jogo marcado para às 22h de uma quarta - um lugar na arquibancada inferior custa R$ 160 (inteira) e R$ 80 (meia). 

Apesar de tudo, Eu estarei no Mané Garrincha torcendo muito por um bom começo de returno com a vitória do Fogão. E você amigo torcedor, acredita na vitória e na reação? Segundo os matemáticos, precisamos de, no mínimo, mais 23 pontos para começarmos 2015 na 1a. divisão!

Por @Felipaodf/Botafogodeprimeira.com