quinta-feira, 4 de junho de 2015

O líder contra o lanterna




Montagem do BotafogoOficial
Com a autoridade de líder da competição, o Botafogo (13) enfrenta nessa sexta-feira o lanterna Mogi Mirim (2) no Nilton Santos, em jogo válido pela 6a. rodada do Brasileirão Série B. 

Depois de vencer o Paysandu em Belém por 1 a 0, o CRB no Rio por 4 a 1, empatar sem gols com o Atlético-GO em Brasília, vencer o Vitória em casa por 2 a 0 e o Paraná Club fora por 2 a 1, o Glorioso soma 13 pontos e ocupa o topo da tabela pelos critérios de desempate - tem hoje, um gol de saldo a mais do que o Náutico (13), segundo colocado. Bahia (11) e América-MG (10) completam o G-4 seguidos de Macaé (10), Vitória(9) e Paysandu (9).  Uma vitória sobre os paulistas hoje à noite confirmaria a boa campanha do Alvinegro no campeonato e garantiria os 100% de aproveitamento dos jogos em casa. Já são 11 vitórias em 11 jogos desde que o estádio teve seu nome mudado. 

René deve mandar a campo uma equipe bem modificada em relação a que venceu o Paraná na fria Curitiba, terça-feira. Sem poder contar com Willian Arão que foi expulso por reclamação, e com Mattos e Elvis que foram poupados dos treinamentos por desgaste físico, o "professor" mexe no tabuleiro e deve escalar Renan; Gilberto, Roger Carvalho, Renan Fonseca e Pedro Rosa; Diego Giaretta, Camacho, Diego Jardel e Daniel Carvalho; Rodrigo Pimpão e Bill.

Com essa formação, o time terá três jogadores num estágio abaixo de preparação em relação aos demais companheiros - a mesma situação que ocorreu em Brasília (claro, com outra formação) quando a equipe fez a sua pior apresentação nessa sequência de bons resultados. Falo de Roger Carvalho, Pedro Rosa e Camacho. O zagueiro, que só voltou ao time no último jogo depois de um longo período de recuperação, pode sentir o ritmo de jogo apesar de ter entrado bem no tempo final contra o Paraná quando o time, com menos um, passava por um tremendo sufoco. Quanto ao Pedro Rosa, o temor é bem mais significativo. Depois de ter sido um dos piores em campo no jogo em Brasília, conseguiu repetir a dose contra o Paraná se mostrando um jogador limitado e despreparado pra ocupar a posição de titular. O lateral quase colocou tudo a perder ao cometer um pênalti bisonho após ceder um contra-ataque ao adversário por não saber o que fazer com a bola lá na frente. Camacho, que deve substituir Arão, também foi muito mal no Mané Garrincha. Em momento algum se acertou com Arão, deixando muitos espaços na intermediária onde os atacantes goianos deitaram e rolaram levando perigo constante à meta de Jefferson. Na função de 1o. volante, de tanto temor, o jogador mal conseguia passar da linha que divide o gramado. Vi isso de perto e cornetei muito os dois jogadores no estádio.

Mas com tudo isso (somado à inconstância de Gilberto e de Jardel e a má fase do Bill), não podemos pensar num resultado que não seja uma vitória com folga no placar dado a diferença técnica entre duas equipes bem caracterizada pelas posições na tabela. Jogando em casa e com o apoio da torcida não podemos dar chance pro azar. É manter o foco e construir o placar já no início da partida como foi contra o Paraná para manter a liderança, a invencibilidade e os 100% de aproveitamento no Niltão. 


Por @felipaodf/Botafogodeprimeira.com