sábado, 18 de julho de 2015

Juntando os cacos



Se faltou ousadia pra vencer o Ceará e o Bragantino pela Série B - veja no nosso post: Blog do Felipaodf: Um pouco mais de ousadia pra botar frente sobre os adversários , contra o Figueirense ela apareceu, mas só no primeiro tempo quando demos pinta de que poderíamos fazer o gol a qualquer momento. Porém, inexplicavelmente, sumiu no segundo quando perdemos o foco na partida. Veja os detalhes no nosso post Blog do Felipaodf: É Copa do Brasil: Foco para avançar de fase!


Montagem do SouBotafogo
O Botafogo perdeu o primeiro compromisso decisivo da semana programado  para o Estádio Nilton Santos. Foi derrotado pelo Figueirense nos acréscimos com gol de letra de Marcão que saiu como o herói da classificação catarinense. Tudo isso depois do time fazer um excelente 1o. tempo quando deu mostras de que, finalmente, o professor René tinha acertado a mão. 

Com Elvis na armação depois de ficar uma semana na geladeira e a re-estreia de Otávio no time principal jogando pela direita depois de uma passagem apagada por campos italianos, o time mostrou desenvoltura em suas linhas e dava sinais de que poderia vencer a partida mesmo com a boa vantagem de poder empatar de até 1 a 1 pra passar de fase. Até mesmo o novato Jean, que substituía Carleto pela esquerda, dava conta do recado. Mas o tal do René, além de tudo o que diziam por aí - de que não conseguia dar um padrão de jogo ao time - mínimo que fosse - depois de seis meses de trabalho, mostrou ser um cara azarado, muito mais do que o Elvis que, quando fazia a sua melhor partida desde que chegou ao clube, arrumou, aos 33 minutos do 1o. tempo, uma torção no tornozelo que o tiraria da partida logo depois. A saída do meia deixou René e todo o time na mão. 

Não era pra ser tão dramático assim, mas quando optou por Tomas Bastos na substituição, todo o padrão de jogo apresentado até então se perdeu. Com o desacerto no final do 1o. tempo, pelo menos fomos para o intervalo com um 0 a 0, resultado que se prestava à nossa almejada classificação. 

Com a pressão exercida sobre os catarinenses no primeiro tempo (só faltando o gol) e com um único problema (Tomás) identificado, parecia fácil para René corrigir o erro de posicionamento nas conversas de vestiário, mas não foi isso que aconteceu. A equipe de Argel voltou mais consistente na segunda etapa mostrando o dedo do técnico. Passou a levar mais perigo ao gol de Jefferson que, antes do tiro final, já havia feito algumas defesas difíceis frustrando as pretensões do adversário.

Com três substituições certeiras no decorrer do 2o. tempo, o objetivo dos catarinenses foi alcançado. Pelo lado do Botafogo, Otávio foi sacado por cansaço dando lugar ao Daniel Carvalho que entrou com o objetivo de cadenciar o jogo e melhorar as enfiadas de bola para Pimpão, aberto pela esquerda, e Luis Henrique que flutuava pelo meio. Mas nem uma coisa e nem outra aconteceu na medida necessária.

Com o jogo mais aberto, surgiram chances de gol para os dois lados e no finalzinho, já com Sassá em campo, Rodrigo Pimpão teve a chance do gol da classificação nos pés. Depois de receber a bola e se livrar do zagueiro, concluiu fraco em cima do goleiro quando a melhor opção seria passar para Sassá que acompanhava a jogada livre pelo meio. Não bastasse a decisão errada, o lance proporcionou um contra-ataque fatal. A bola vinda do meio foi lançada na esquerda e de lá cruzada para a área onde encontrou o Marcão sem nenhuma dificuldade depois de Jean e Roger baterem cabeça no lance. O centro avante completou de letra para as redes sem chances para Jefferson. Estava completada a humilhação.

Este sábado é a vez de encarar o Náutico numa disputa direta pela liderança do Brasileirão da Série B e o apoio irrestrito da torcida será fundamental para alcançar o objetivo. O horário é bom (16h30) e tem promoção de ingressos (10-60 reais). Menos de 15 mil - o dobro do público de terça-feira - podemos entender que a torcida tá pouco se lixando para a situação caótica do clube. 

O Botafogo passa por um período de instabilidade apesar de liderar a competição. Enfrenta um time aplicado e bem dirigido pelo técnico Lisca que fez um bom jogo contra o Flamengo na quarta-feira passada pela Copa do Brasil, apesar de sair derrotado.

Na semana mais conturbada da temporada - eliminação da Copa do Brasil, demissão de René, procura por novo técnico e anuncio de reforços desconhecidos - o auxiliar Jair Ventura virou interino com a dura missão de montar uma equipe capaz de vencer o Timbu. Sem poder contar com Arão, suspenso e Elvis, contundido, o filho do Furacão Jairzinho não definiu o time depois de dois treinos sem a presença da imprensa. Roger Carvalho, com uma pancada nas costas, não treinou com o grupo. Em compensação, Carleto estará a postos.

Dessa forma poderemos ver os seguintes times em campo:

BOTAFOGO: Jefferson; Carleto, Luis Ricardo, Roger Carvalho (Emerson ou Alisson), Renan Fonseca; Diego Giaretta, Fernandes, Octávio e Daniel Carvalho; Pimpão e Luis Henrique.

NÁUTICO: Julio Cesar; Lucas Farias, Flávio (Diego), Fabiano Eller e Gaston Filgueira; João Ananias, Willian Magrão, Marino e Hiltinho; Gil Mineiro (Bergson) e Douglas.

Boa sorte Fogão e vamos pro jogo...