quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Iluminado, Sassá fez torcida sassaricar no Niltão. Que venha o Mogi...



Montagem do Botafogo Digital
Jogando em casa, na última terça-feira, o Botafogo defendia a liderança do campeonato contra o bom time do Paraná e perdia o jogo até os 26' do 2º tempo quando o iluminado Sassá, que havia entrado dez minutos antes no lugar de Lulinha, marcou o gol de empate na base da raça. A torcida alvinegra explodiu em delírio no Niltão ao ver o atacante "porrar" pra dentro uma bola que insistia em não entrar, rebatendo seguidamente na parede de cinco zagueiros paranistas que se entrincheiraram debaixo da baliza.

Dessa forma, o atacante Sassá, rotulado como o talismã alvinegro da nova geração, fazia a torcida sassaricar* nas arquibancadas do Nilton Santos como havia feito três dias antes, no Barradão, ao marcar o gol da vitória sobre o Rubro-negro baiano no chamado choque de titãs da Série B.

*Sassaricar (para os botafoguenses) ou saçaricar (para os não escolhidos) - divertir-se muito, sacudindo o corpo... Ato de saçarico, fletar, paquerar, andar em busca de conquista, assanhamento, ser serelepe, ir para balada afim de ficar, namorar...

E não bastasse o gol de empate numa etapa do jogo em que muitos já não acreditavam, não é que o intrépido artilheiro cravou mais um decretando a vitória alvinegra!

Era a terceira vitória seguida do time de Ricardo Gomes, de virada, com direito à manutenção da ponta da tabela que foi tomada das mãos do surpreendente Paysandu que vencia o poderoso Santinha, por 2 a 1, no Recife.

Dessa vez, o incansável Sassá escorou um belo passe de cabeça de Daniel Carvalho que recebeu assistência perfeita de Willian Arão, um dos melhores em campo. Assim como Sassá, Daniel também veio do banco (substituiu Tomas aos 8'/2ºT) para resolver e teve participação decisiva tanto no gol e como na virada final.

Verdade seja dita: estamos vivendo a Semana Sassá no Botafogo. Só dá o cara. Méritos para o técnico R. Gomes por reconhecer o esforço do atleta para melhorar os fundamentos nesses 40 dias de trabalho intenso e por utilizá-lo na função de centroavante (posição em que jogava na base e foi aproveitado no Náutico no ano passado). Um merecido reconhecimento para o jogador que vem mostrando desenvoltura na posição e marcando os gols que nos tem garantido a ponta da tabela, mantendo a média do melhor ataque da competição que subiu muito de produção com a chegada de Neilton (em recuperação), com a desenvoltura de Navarro e agora, o oportunismo e força de Sassá, sem falar na potencialidade do jovem Luis Henrique de 17 anos.

Para os jovens que não conhecem a expressão "sassaricando" e nem a marchinha de sucesso gravada pela vedete Virgínia Lane na década de 50, ta aí a oportunidade de...





Como um verdadeiro líder e mandante da partida, o Botafogo partiu pra cima desde o começo do jogo tentando sufocar o time paranaense com boa coordenação das suas linhas - defesa, meio e ataque - e intensa movimentação dos jogadores. Por sua vez, o adversário parecia preparado pra enfrentar essa pressão e se defendia tocando a bola de pé-em-pé, sem recorrer ao velho chutão.

Como nas partidas anteriores, o Bota criou muitas oportunidades de gol mas a bola insistia em não entrar. Dessa vez, além da falta de pontaria dos nossos atacantes em alguns lances, muitas das conclusões pararam nas mãos de Felipe Alves que, em dia de Paredão, fez pelo menos três defesas milagrosas durante o jogo. E como quem não faz leva, o castigo veio a jato quando Giaretta "carleteou" pela esquerda e entregou o ouro pro bandido num passe equivocado que Gustavo Sauer aproveitou e saiu em velocidade. Pedalou pra cima de Roger Carvalho e chutou da entrada da área antes que o lento Renan Fonseca chegasse no lance: 1 a 0 -  uma bola perfeitamente defensável se Helton Leite estivesse num dia de Felipe Alves, o Jefferson do dia.

Apesar de sair atrás no placar, o Botafogo manteve a pegada em busca do empate. Na primeira grande chance, Navarro perdeu gol feito dentro da pequena área num rebote após cobrança de falta. O uruguaio voltou a ameaçar o gol adversário em cabeçada que passou rente à trave, mas não era o dia dele. Seguiram-se lances incríveis como a cabeçada certeira de Renan Fonseca e uma bicicleta sensacional de Lulinha que proporcionaram defesas milagrosas do goleiro paranista. Tinha que ser contra a gente?

No segundo tempo o panorama não mudou. O Botafogo partiu em busca do gol de empate e o Paraná, cauteloso e bem postado em campo, tentando dificultar às investidas alvinegras. Do jeito que estava, parecia que a coisa não ia chegar a lugar nenhum... Mas aos 16' Ricardo Gomes, num momento mágico do jogo, tomou a sua melhor decisão na noite sombria. Lançou Sassá no lugar de Lulinha e fez temperatura do jogo subir. Incentivado pela torcida que não parava de cantar, o time martelou até que atacante empatou o jogo na base força dez minutos depois (26'). O jogo continuou quente e Sassá voltou a brilhar ao marcar o gol da virada, aos 42', já com Luis Henrique, que havia entrado no lugar de Navarro, em campo. Mais uma vez, a solução veio do banco.

Clique e veja os lances da boa vitória sobre o time paranaense

 



Com a boa sequência de três vitórias depois das duas derrotas surpreendentes na abertura do returno, começamos a criar a tão sonhada gordura que nos daria a tranquilidade para os desafios que vem pela frente. É uma capa fina ainda, mas estamos no caminho certo.

Com mais essa vitória em casa, o aproveitamento do Botafogo subiu para 62,5%, índice suficiente para o retorno à Série A sem traumas. Como mandante, o aproveitamento é ainda maior e chegou a 75%, o melhor da competição. A artilharia continua em alta e com mais dois gols marcados, continuamos como o melhor ataque do campeonato, com 39 gols. Temos também a defesa menos vazada, com 19 gols sofridos.

Cada vez mais líder, agora com 45 pontos, o Botafogo precisa de mais 21 para garantir matematicamente o retorno à elite. Dos 10 jogos marcados para o Nilton Santos nesse returno, perdemos um e ganhamos dois outros quando era necessário ganhar todos para garantir essa condição. Ao vencer o Vitória fora, compensamos a derrota sofrida contra o Papão e vamos com tudo para cima do Mogi com esse espírito vencedor.

Tabela atualizada após 24a. rodada
Como escrevemos no post passado, vencer o Paraná no Nilton Santos era questão de honra e até mais importante do que ter vencido o Vitória, em Salvador, pelo simples fato de ser um jogo marcado para a nossa casa, diante da nossa torcida que andava ressabiada depois da derrota inesperada e dolorida contra o Papão na abertura do returno. Não seria fácil como alertamos no texto, mas precisávamos vencer a qualquer custo e restabelecer o #PactoAlvinegro (veja os argumentos em detalhes no nosso post de pré-jogo: Blog do Felipaodf: Refazendo o #PactoAlvinegro). Ainda bem que vencemos!

Terminada a 24ª rodada (clique e veja a situação de cada time e os próximos confrontos de cada um: http://felipaodf.blogspot.com.br/p/carregando-tabela-do-brasileirao_21.html ), podemos dizer que nove equipes continuam firmes na briga por uma vaga no G-4 sem que nenhuma delas tenha conseguido se desgarrar no grupo.

O Luverdense, com 34 pontos, forma a linha de corte dos dez primeiros e está a 11 pontos do Botafogo, que lidera a competição com 45. Mas para nós, o mais significativo foi ver o Glorioso abrir 6 pontos de diferença para o Sampaio Corrêa, que é o quinto colocado, com 39 pontos. A vice-liderança continua com o surpreendente Paysandu que não para de vencer. Com 4 vitórias e 1 empate nos últimos 5 jogos, o Papão soma 43 pontos e continua na nossa cola. O Vitória está em terceiro, com 41, seguido do Bahia, com a mesma pontuação fechando o G-4. Além do Sampaio em quinto com 39, seguem na briga o América-MG em sexto, com 38, o Bragantino em sétimo, com 37, o Náutico em oitavo, com 36, o Santa Cruz em nono, com 35 e o Luverdense em décimo, com 34.

Sassá o nome do jogo (Botafogo Oficial)
Helton Leite foi bem no jogo mas fiquei com a impressão que o gol que tomou era defensável caso não estivesse adiantado. Com a presença de Camacho no lugar de Serginho, achei que houve um descompasso do sistema defensivo no começo da partida. A zaga jogou adiantado seguindo a proposta armada por Ricardo Gomes. Mas a responsabilidade do gol paranista pode ser creditado ao erro bizarro de Giaretta que parece capenga pela lateral esquerda apesar das experiências anteriores. Se tivemos uma oscilação da linha defensiva com a presença de Camacho como 1o. volante, ela foi compensada pelos passes mais precisos e uma melhor saída de bola comparando-se com pitbull Serginho que vinha jogando.

Arão voltou a se destacar na partida mostrando disposição e uma presença marcante nas ações de ataque. Foi dele o lançamento para Daniel Carvalho no lance do segundo gol. Lá na frente, Navarro tentou mas não teve precisão nos arremates como nos jogos anteriores quando marcou belos gols e foi destaque das partidas. Lulinha vem melhorando nos fundamentos mas ainda lhe falta poder de decisão. Teve boas chances de abrir o placar em contra-ataques mas, ainda sem ritmo, não decidiu. A atuação de Sassá já foi analisada e com dois gols decisivos foi, de novo, o nome do jogo. Daniel entrou bem e LH9 teve boa movimentação jogando fora da área nos tempo em que esteve em campo.

O técnico Ricardo Gomes também se destacou ao armar o time pra jogar pra frente e foi premiado com a vitória com as três boas mexidas que fez durantea partida. O trabalho começa aparecer ao vermos um time com padrão tático e poder de ataque, mas que ainda sofre com desacertos na zaga e erros individuais.

Ah, ia esquecendo: apesar de jogarmos pela segunda vez com arbitragem de Série A, dessa vez os auxiliares pareciam nervosos ao levantarem a bandeira contra nós seguidamente em lances de interpretações duvidosas. Erraram em um ou dois lances que não comprometeram o resultado.

Na sexta-feira é a vez de enfrentar o Mogi-Mirim, no Estádio Kléber Andrade-ES, às 21:30, num jogo com mando deles mas jogado em Cariacica onde o Botafogo tem grande torcida. Além dos locais, vamos contar com os fiéis torcedores das Organizadas que estão montando caravanas pra invadir o estádio capixaba e levar o Alvinegro a mais uma vitória, ampliando a sequência gloriosa.

Veja os serviços para o jogo nesse link: BotafogoDePrimeira: Torcedor precisará desembolsar R$ 80 para jogo do Botafogo no Kléber Andrade

O time deve ser bem parecido com o do último jogo, apesar de Elvis, suspenso pelo terceiro amarelo, ficar de fora. Daniel e Fernandes são as opções para o meio com Sassá podendo entrar no ataque. Navarro sentiu a coxa, não treinou e também deve ficar de fora. Mas a melhor notícia é a volta de Jefferson ao grupo depois de servir à Seleção. Com essa novidade, o time deve formar com: Jefferson, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Roger Carvalho e Diego Giaretta; Camacho, Willian Arão, Tomas, Daniel Carvalho (Fernandes); Lulinha (Sassá) e Luis Henrique.

Pelo lado do Mogi, 19o. colocado, as coisas não vão muito bem mesmo com a vitória sobre o Boa Esporte na última rodada depois de passar nove jogos sem vencer. A briga do time paulista é contra o rebaixamento. Tem 22 pontos, seis a menos que o Atlético-GO, primeiro fora da degola.