quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Deu mole, tomou: Análise da 31a. rodada após a derrota surpreendente do Botafogo para o Vozão




O Capitão Jefferson, ao sair do campo, afirma não
 
ter feito pênalti no lance que decidiu o jogo
"Jogando" ontem no Nilton Santos, o Botafogo perdeu a chance de disparar na liderança do campeonato ao ser derrotado pelo modesto Ceará, 17o. colocado e virtualmente rebaixado para série C.

O Botafogo vacilou feio, cedeu campo ao adversário e foi punido por sua própria ineficiência no começo do 2o. tempo (11') com um pênalti mal marcado pelo árbitro, pela enésima vez no campeonato. O "soprador de apito" foi facilmente iludido pela simulação do atacante cearense que se jogou acintosamente na área depois de esticar o pé direito para tocar em Jefferson. Merecia um cartão amarelo pela simulação grotesca mas, ao invés disso, o árbitro resolveu amarelar o goleiro pra não perdeu a razão. Sem ter nada com isso, Rafael Costa cobrou bem no canto direito, rente à trave, e venceu Jefferson que ainda foi na bola e por pouco não conseguiu fazer a defesa.

Apesar de jogar em casa, com a obrigação de fazer o resultado dado às condições amplamente favoráveis, o Botafogo começou o jogo de modo disperso, bem diferente da disposição demonstrada no último jogo quando goleou o Bragantino por 4 a 0 três dias antes. E olha que o time era o mesmo, exceto pela presença do zagueiro Roger Carvalho no lugar de Giaretta. Um postura de completo desrespeito à torcida que compareceu ao estádio na noite dessa terça-feira - os 7 mil de sempre.


Montagem de capa do GE
Na partida contra o Bragantino, vimos um belo jogo coletivo com direito à algumas jogadas individuais de efeito que redundaram na goleada sem sustos. Esse e outros aspectos daquela partida foram tratados no post de pré-jogo, veja: Blog do Felipaodf: Análise da 31ª RODADA e a manutenção da liderança

O Ceará, que não é bobo nem nada, se aproveitou da situação e na base do toque de bola e de jogadas de efeito do meia Ricardinho com Rafael Costa, envolveu a zaga botafoguense exigindo boas intervenções de nosso goleiro. O Bota só ameaçou o gol adversário uma única vez num chute de fora da área de Tomas Bastos que emendou de primeira um rebote da zaga que resvalou no adversário, subiu e quase enganou o goleiro Éverson.


A essa altura do jogo, a paciência do torcedor botafoguense já tinha descido pelo ralo diante da péssima atuação coletiva da equipe. Como destaques negativos podemos citar: os dois laterais, a inoperante dupla de meias formada por Tomas e Octávio e até os atacantes que, isolados, pouco produziram lá na frente. A cerveja, agora liberada no estádio, que serviria como combustível pra comemorar a vitória só se prestou a levar o torcedor mais vezes ao banheiro.

Veja os "melhores" momentos da partida




O time voltou do intervalo com Daniel Carvalho no lugar do sonolento Octávio e a esperança por um 2o. tempo mais dinâmico se acendeu. Ledo engano. Tivemos uma chance na cabeçada de Navarro um pouco antes do fatídico pênalti que, convertido, sacramentou a derrota alvinegra. Depois do gol, o Ceará se concentrou em fazer cera e truncar o jogo como manda o manual dos times pequenos, e teve êxito com a complacência do juiz. Navarro teve outra boa chance no final do jogo mas o goleiro estava atento no lance e defendeu.

Mesmo com tempo suficiente para reverter o resultado (40') e, a certa altura do jogo, com um homem a mais, o Alvinegro não teve êxito mesmo com as modificações introduzidas por Gomes. As vaias pipocaram pelo estádio para o time e sobraram também para o técnico que foi muito formal na escalação mandando a campo um time cauteloso justamente quando precisávamos de mais ousadia pra fazer o resultado. Além de Daniel, no intervalo, Ronaldo entrou no lugar de Neilton, aos 20'/2°T e Sassá substituiu o Tomas, aos 29/2°T. Ficaram no banco Jardel e Elvis que, se escalados desde o começo, poderiam tornar a equipe mais agressiva. Mas Gomes, depois de ter o tempo do mundo pra armar a equipe nos dois longos períodos sem jogos, preferiu a formalidade de Octávio e Tomas.


Tabela atualizada após iniciada a 32a. rodada
Com o revés inesperado contra o Vozão, marcamos passo na tabela já que cumpríamos um jogo adiado da 30a. rodada. Se não avançamos, também não fomos alcançados por nenhum adversário porque um único jogo da 32a. rodada aconteceu. O Bahia venceu o Criciúma por 1 a 0, somou 54 pontos e garantiu a 3a. posição provisória na tabela. Agora, o tricolor baiano assiste de camarote o complemento da rodada que tem jogos programados para a próxima sexta-feira e sábado.

Sendo assim, o Botafogo permaneceu na liderança isolada do campeonato com 59 pontos, três a mais do que o vice-líder Vitória, que tem 56. O América-MG caiu uma posição e agora é o 4o. colocado com 51 pontos.


Imediatamente abaixo, brigando por uma vaga no G-4, temos o Paysandu (49) em 5o.; o Náutico (49), nosso adversário de sábado, em 6o.; o Santa Cruz (48) em 7o.; a Luverdense (48) em 8o.; o Samapio Corrêa (47) em 9o.; e o Bragantino (45) em 10o., todos com chances de alcançar uma posição na elite em 2016.


Quanto ao acesso antecipado, temos 10 pontos de diferença sobre o 5o. colocado (Paysandu), parâmetro que vai definir em qual rodada subiremos. Segundo os matemáticos, com o atual cenário precisaremos chegar a 67 ou 68 pontos para anteciparmos o objetivo em uma ou duas rodadas. Com 64 pontos (5 pontos ou 2v), garantiremos a subida independente de outros resultados. Se tivéssemos vencido ontem, poderíamos acabar com essa agonia bem antes mas parece que os jogadores alvinegros gostam de emoções fortes. Só falta combinar com a torcida!


O último revés do time de Ricardo Gomes havia sido contra o CRB, no longínquo dia 28 de agosto. Agora, com a derrota de ontem, voltamos à estaca zero na sequência invicta de nove jogos. Nesse período, foram sete vitórias e dois empates o que nos proporcionou a folga na liderança que temos hoje.


Mesmo com a derrota para o Ceará, continuamos com 99% de chances de subir. O aproveitamento que era de 65,6% caiu para 63,4%, índice mais do que suficiente para o retorno sem sustos. Como mandante, o aproveitamento é de 75,5%, o 4o. melhor da competição, com 34 pontos em 16 jogos. Como visitante temos a melhor campanha dentro todos os concorrentes com 55,5% de aproveitamento. Somamos 25 pontos em 15 jogos disputados na casa dos adversários;


Confira a tabela completa e os próximos jogos do Botafogo e de todos os concorrentes em>http://felipaodf.blogspot.com.br/p/carregando-tabela-do-brasileirao_21.html


Mesmo sem marcar na última rodada, o ataque alvinegro continua sendo o melhor da competição com 52 gols. Temos também a defesa menos vazada com 24 gols sofridos, o que dá um saldo expressivo de 28 gols, nove a mais do que o Vitória, segundo colocado no quesito e na competição.


Dessa vez, a dupla Navarro e Neilton, que havia brilhado intensamente contra o Bragantino, passou em branco. Mesmo assim, o uruguaio Navarro é o artilheiro da equipe na série B com 09 gols, em 12 jogos; seguido por Neilton, com 05 gols.


O que nos resta agora é aguardar os dias de treinamento para saber como Ricardo Gomes vai reagir ao mal resultado. Sábado vamos à Recife enfrentar o Náutico (6o. colocado) com a obrigação de resgatar a confiança do torcedor alvinegro para o resto da temporada. Lembramos que o Timbú, em casa,  é um adversário fortíssimo que vai lutar bravamente pela vitória que lhe garanta uma vaguinha no G-4.

O certo e que a dupla Tomas e Octávio não deve emplacar mais depois das fracas exibições, principalmente contra o Ceará. Em compensação, Daniel Carvalho já se recuperou do pisão que levou no jogo contra o Bragantino e tá garantido como titular pelo treinador. Seu companheiro pelo meio deverá ser Jardel ou Elvis, se RG quiser deixar o time mais solto em campo. Caso contrário, Tomas deve permanecer como titular mesmo com a fraca exibição no último jogo.

Neilton, com o terceiro cartão amarelo, não viaja e deve ceder o lugar a Sassá ou Ronaldo, que estreou contra o Vozão e não teve tempo pra mostrar a que veio. Gomes ainda pode mexer nos dois laterais que foram muito mal contra o Vozão.

Sendo assim, o Botafogo pode formar com: Jefferson, Luis Ricardo (Diego), Renan Fonseca, Roger Carvalho e Carleto (Giaretta); Rodrigo Lindoso, Willian Arão, Daniel Carvalho, Tomas (Elvis); Sassá (Ronaldo) e Navarro.


Ps: terminamos o último post afirmando que "Apesar do adversário estar no Z-4, o jogo é jogado e vamos precisar do apoio da torcida pra vencer mais esse obstáculo e disparar na liderança". Pois bem, mesmo com o apoio dos torcedores o negócio ficou feio para o lado do Botafogo que andou em campo de salto alto e escorregou feio. Imagine contra o Náutico que está mais preparado. Baixa a bola, Botafogo!

Vai dar jogão...


Por @felipaodf/Botafogodeprimeira.com