sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Reposição lenta do elenco preocupa torcida do Botafogo





O melhor Botafogo de todos os tempos,
 
uma verdadeira seleção
Depois de alcançar os principais objetivos da temporada em 2015, o Botafogo tem pela frente o desafio de fazer uma campanha convincente na Série A em 2016, e pra isso precisa contratar urgentemente. Não vamos ter um time dos sonhos como o representado ao lado, recheado de craques em sua maioria feitos em casa, mas precisamos de um time com condições de honrar a nossa camisa e as nossas tradições.


É sabido que a situação financeira do clube continua crítica apesar dos esforços da diretoria pra colocar a casa em ordem e afastar o fantasma que tomava conta da torcida no começo da temporada - permanecer na 2a. divisão.


A perspectiva é que o clube feche com um patrocinador master para a próxima temporada e que, juntamente com o aumento das cotas de televisionamento na ordem de 60 milhões (ainda em negociação), possa dar um suporte maior ao futebol em relação ao montante investido nesse primeiro ano.


Na campanha vitoriosa de 2015, o Botafogo sobrou em relação aos seus adversários mesmo tendo montado um time modesto, com jogadores, em sua maioria, desconhecidos. Mas em 2016 o buraco é mais embaixo e a filosofia tem que ser diferente. A base, que  deveria ser mantida e reforçada com cinco ou seis jogadores de peso (os ditos cascudos) para encorpar o elenco, já não existe mais.



Montagem disponível na internet 
O trabalho parece seguir nessa direção mas em ritmo muito lento na visão do torcedor alvinegro, que ansioso como ele só, já cobra a chegada dos reforços pra ontem.


Num primeiro momento, o Botafogo anunciou uma lista de dispensa com 11 jogadores deixando claro a intenção de reformular elenco como era o desejo da torcida. Era consenso que o grupo campeão da Série B não era forte o bastante para a disputa de um campeonato Brasileirão ou mesmo uma Copa do Brasil onde adversários duríssimos e cada vez mais estruturados nos esperam.


Nessa leva, foram embora os zagueiros Alisson e Diego Giaretta; os laterais Pedro Rosa e Carleto; os volantes Bazallo, Guilherme Camacho e Serginho; e os meias Daniel Carvalho, Diego Jardel, Lulinha e Tomas Bastos.


Dos remanescentes que ficaram para compor a espinha dorsal do começo da nova temporada, muitos já deixaram o clube: o zagueiro Roger Carvalho não acertou e se transferiu para o Palmeiras; Willian Arão teve decisão favorável na justiça do trabalho e está liberado pra assinar com outro clube; Elvis já se despediu do elenco via redes sociais; Navarro pediu alto e também deixou o clube; Gegê e Octávio foram dispensados, fato muito festejado pela torcida; e o goleiro Renan, que preferiu não renovar e busca novos rumos na carreira - cansou de ser reserva do melhor goleiro do Brasil.


Com isso, a ideia de manter a base caiu por terra e a remodelação do elenco terá que ser muito mais radical do que se imaginava a princípio, com dificuldades extras para Ricardo Gomes montar o time. Entre os que ainda permanecem, alguns seguem com a situação pendente em negociações que se arrastam por semanas, como são os casos de Renan Fonseca, Luis Ricardo, Ronaldo e agora, Neilton.



Chamada do Botafogo Oficial para o 1o.
amistoso 
de 2016
Entre certos e prováveis, Jefferson é o nosso capitão e será o pilar dessa base como foi do elenco formado para jogar a Série B. O melhor do Brasil terá em Helton Leite um substituto em franca evolução.


Luis Ricardo, que atuou como lateral-direito e como meia na campanha de 2015, segue nos planos mas ainda não fechou. Depende do São Paulo, dono do seu passe, que quer diminuir sua participação nos salários pagos ao jogador. Na lateral esquerda, por enquanto, vamos de Jean que teve seu contrato renovado por mais dois anos sob o descrédito de grande parcela da torcida, já que não foi bem nas oportunidades que teve em 2015. É uma aposta de risco.


Rodrigo Lindoso, que ganhou a posição de titular e a confiança de Ricardo Gomes no final da temporada, fechou e terá a companhia de Fernandes. O jogador foi valorizado e teve o seu contrato estendido até 2017. Neilton, que manifestou a intenção de permanecer no Glorioso, tinha a situação muito bem encaminhada mas a situação se complicou. Não houve acordo sobre o pagamento de salários com o Cruzeiro, dono do seu passe e, diante do impasse, o Botafogo desistiu formalmente de contar com o jogador. Porém, com a efetivação de Deivid como novo treinador do clube mineiro, o assunto teve uma reviravolta e o jogador voltou a negociar com o alvinegro e deve pintar para uma nova temporada no Glorioso onde terá a chance de se firmar como um jogador talentoso, deixando pra trás a condição de eterna promessa.


O zagueiro Renan Fonseca recebeu proposta do clube pra ficar mas ainda não respondeu. Valorizado, o jogador tem propostas de São Paulo e Fluminense mas deseja fazer carreira no Glorioso. Enquanto não acerta, o Botafogo se precaveu trazendo o zagueirão argentino Joel de Carli para ser titular, o primeiro "reforço" de 2016.



2016 pode ser o ano de afirmação de 
Luis Henrique no Botafogo
No ataque, o que parecia certo entrou em compasso de espera. O avante Ronaldo, autor do gol do acesso, que parecia ter fechado ainda enfrenta problemas pra convencer o clube dono de seu passe a ficar. A sua permanência no grupo era dada como certa para compor o novo elenco, pois tem potencial para evoluir e se tornar útil na campanha de 2016.


O certo é que teremos o retorno de Henrique Almeida que disputou a série A pelo Coritiba. O atacante teve bom desempenho nesse final de temporada, sendo um dos destaques do time do Coxa que conseguiu se manter no grupo de elite pro ano que vem. O jogador pode virar moeda de troca em futuras transações ou mesmo ser efetivado no grupo de já que ainda não pintou um especialista pra posição.


Com a saída de Navarro, que foi o titular na campanha da Segundona, a tendência é que o clube vá atrás de um novo centroavante. Nomes como Alecsandro (Palmeiras), Kieza (Bahia) e Hernane Brocador (Sport) foram especulados pela imprensa com negativas veementes por parte do clube, apesar do jogador do Palmeiras ter confirmado a sondagem essa semana. O nome da vez é o paraguaio Jorge Ortega, semifinalista da Copa Sul-Americana pelo Sportivo Luqueño - atacante rápido de 24 anos, com faro de gol que agrada por exercer duas funções no ataque.


Pela movimentação nos bastidores - que, diga-se de passagem, está muito aquém dos nossos anseios até o momento - e considerando a manutenção dos jogadores da base que subiram em 2015 e os recém promovidos (Saulo como 3o. goleiro, Diego e Jean para as laterais, os zagueiros Igor Rabello e Emerson; o volante Diérson; o meia Fernandes e dos atacantes Sassá, Luis Henrique, Ribamar e Vinícius Tanque), teremos que trazer no mínimo mais 1 lateral esquerdo (o nome do lateral Bryan, de 23 anos, do América-MG surgiu como possibilidade essa semana), 1 volante (fala-se que o equatoriano Larrea está próximo de ser contratado para a posição que era de Arão), 2 meias de armação (já que não temos nenhum - a negociação com Camilo da Chape esfriou e continua em compasso de espera) e até 2 atacantes, mesmo com Neilton acertando, todos para o time titular.


Por enquanto, o time provável conta com a seguinte formação: Jefferson (Helton Leite), Luiz Ricardo (Diego), Renan Fonseca (Emerson), Joel Carli (falta um reserva), Jean (falta o titular); Rodrigo Lindoso (Diérson), Fernandes (falta um reserva), (faltam dois meias titulares); Falta um titular (Ronaldo) e Neilton (falta um reserva) com possibilidades reais para Luis Henrique e Sassá quando voltar de contusão (que foi muito bem nesse ano até lesionar o joelho), o que, diga-se de passagem, é um elenco bem modesto até mesmo para a disputa do Carioca - imagina para a disputa das competições nacionais.


Mas até a reapresentação no dia 2 de janeiro, deveremos ter muitas novidades com a vinda de cinco ou seis jogadores de peso pra encorpar essa base (assim espero). Do contrário, o esforço para subir para a elite corre sérios riscos de ter sido em vão. Infelizmente a realidade é essa. Mesmo não sendo no ritmo esperado pela torcida, a diretoria está ciente do problema e continua trabalhando pra suprir as carências evidentes - palavra do Presidente.


O time vai realizar a pré-temporada em Vitória-ES e o primeiro compromisso oficial de 2016 será a estreia no Campeonato Carioca diante do Bangu no último fim de semana de janeiro. Antes disso já tem um amistoso confirmado para o dia 23 de janeiro contra a Desportiva-ES, no estádio Kléber Andrade, às 17 horas.


E, por aqui, o nosso compromisso é ir atualizando a situação assim que pintarem novidades no elenco.


Saudações a todos que acreditam e fiquem a vontade para comentar!


Por @felipaodf/Botafogodeprimeira.com