sábado, 27 de fevereiro de 2016

Botafogo bate o Tricolor com nó tático de Ricardo Gomes. Amanhã tem mais.




Gegê abriu o placar contra o Fluminense
aos 10'/1o.Tempo
O Botafogo atropelou o Fluminense no primeiro clássico do Alvinegro no Carioca. O placar de 2 a 0 construído ainda no 1º tempo foi modesto diante da superioridade demonstrada pelos comandados de Ricardo Gomes, principalmente na etapa inicial.


O treinador Alvinegro inovou na escalação ao mandar à campo a dupla de atacantes Ribamar (20 anos) e Luis Henrique (19 anos), dois jovens promissores oriundos da base e o fato parece ter surpreendido a equipe das Laranjeiras. O resultado adverso e a falta de reação do time tricolor no jogo, assim como na competição como um todo, motivaram a demissão do técnico Eduardo Batista ainda no vestiário do estádio Kleber Andrade, em Cariacica-ES, onde foi disputado o jogo.


Mantendo o tripé de volantes testado e aprovado no jogo anterior, contra a Cabofriense, e lançando uma dupla de zaga formada por Joel Carli e Emerson da base - até então, inédita na temporada -, o treinador botafoguense acertou a mão na escalação levando-se em conta o excelente desempenho da equipe nesse jogo quando todos esperavam um fracasso homérico dado às circunstâncias adversas que acompanham o clube da Estrela Solitária desde a crise instalada com a queda para a Série B do Brasileirão na temporada de 2014.


Foi a melhor exibição do time de General Severiano na temporada, o que serviu para amenizar a angústia do torcedor botafoguense que andava (e ainda anda) muito desconfiado da capacidade desse grupo formado no começo do ano. Mesmo com as cinco vitórias consecutivas nos cinco jogos disputados no Campeonato Carioca, o que lhe conferia a liderança isolada do Grupo B com cinco pontos de frente sobre o 2o. colocado - o Flamengo, o time não havia conquistado a torcida em razão do fraco desempenho técnico apresentado até aqui. Já os tricolores, continuam estacionados no quarto lugar do Grupo A com apenas sete pontos, ainda na zona de classificação.


Veja o que escrevemos no post de pré-jogo: Botafogo encara o seu 1o. Clássico no Carioca em b...


Precisávamos de um clássico para melhor avaliarmos o potencial do grupo e ele veio com uma vitória sensacional sobre um rival até então, super credenciado pela força de seu elenco. Apesar de ter perdido o FlaFlu disputado em Brasília por 2 a 1 no fim de semana passado, o tricolor era tido como o clube que melhor investiu em reforços no Rio para essa temporada. Já contando com uma base forte formada por Diego Cavalieri, Pierre, Cícero e Fred, o grupo foi supostamente qualificado com as chegadas do zagueiro Henrique e do meia-atacante Diego Souza. Conta ainda com jovens já consagrados como Gustavo Scarpa e Gerson que retornou ao clube por empréstimo depois de ser negociado para o Roma, da Itália. Finalizando, o Fluminense era o favorito para o clássico mesmo fazendo uma campanha claudicante na competição.


O Botafogo, ao contrário, era tido como o patinho feio entre os grandes pela sua baixa capacidade de investimentos do clube. Foi obrigado a remodelar radicalmente o seu elenco apostando, num primeiro momento, em gringos desconhecidos vindos do mercosul. Dos titulares da campanha vitoriosa do ano passado, restaram Jefferson, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Lindoso e Neilton - uma espinha dorsal que ficou bem aquém do ideal. A ela se juntaram os gringos Lizio, Gervásio e Carli onde, por enquanto, apenas o zagueiro demonstrou condições de assumir uma vaga no time titular. O novo Xerife tomou conta da área no clássico e colocou a catimbeiro Fred no bolso, sendo considerado pela torcida como um dos grandes destaques da partida. E ainda, Airton, um (quase) ex-jogador recuperado por Gomes que já estava no clube ano passado mas não havia sido aproveitado pelo treinador; Diogo Barbosa, que era reserva no rebaixado Goiás em 2015 e vem dando conta do recado na lateral-esquerda como titular (foi muito preciso contra o Flu e fez uma boa partida); Bruno Silva, que mostrou personalidade para ganhar a vaga de titular com apenas três jogos completados na temporada; e os garotos que já estavam no grupo como Gegê e Luis Henrique e os que subiram nessa temporada, como foi o caso do atacante Ribamar. Recentemente, chegou o meia-atacante Salgueiro, jogador argentino experimentado nas disputas de Libertadores que, com o tempo e entrosamento, deve assumir a posição de titular jogando pelo meio. Tudo isso para dizer que o Botafogo ainda tem um elenco muito abaixo dos anseios de sua torcida e ainda insuficiente para encarar as competições nacionais. É inferior tecnicamente inclusive ao rival a quem venceu com facilidade na última quarta-feira.


Mesmo com a chegada de Salgueiro, ainda nos falta um meia para ser titular absoluto; um lateral-esquerdo experiente para brigar pela posição e; um centro-avante cascudo para colocar a bola pra dentro e revezar com os garotos Riba e L. Henrique, que são promissores mas ainda inexperientes pra aguentarem o tranco de uma Série A. Se é assim, méritos totais para Ricardo Gomes que, apesar de ser um dos mais cornetado do grupo (já na escalação a galera cai em cima nas redes sociais), vai conhecendo os jogadores e montando um time, no mínimo organizado e aguerrido, praticamente do zero e que ontem deu sinais, pela 1a. vez na competição, que pode jogar futebol - e justamente quando mais precisávamos. Ganhar um clássico é sempre bom: alivia o sofrimento da torcida e dá confiança aos jogadores. Só não pode trazer tranquilidade aos nossos dirigentes achando que podem retardar as contratações.


Ribamar marcou o seu 1o. gol no 
campeonato, aos 23'/1o.Tempo 
O Botafogo dominou todo o primeiro tempo. Mais organizados em campo, o Alvinegro abriu o placar com um gol de Gegê, aos 10' de jogo. Treze minutos depois, foi a vez do jovem Ribamar marcar o seu primeiro gol como profissional (23'), o segundo da equipe de General Severiano. Na etapa final, o Fluminense veio com algumas modificações, teve mais posse de bola, mas pouco incomodou o goleiro Jefferson. Com boa marcação, os botafoguenses administraram o resultado e saíram com uma merecida vitória no final.


Para entender como o time do Botafogo se comportou taticamente nesse jogo, veja a análise do perfil botafoguense @FogoTatico em https://fogotatico.wordpress.com/2016/02/26/2345meia78/ …


O próximo compromisso, de novo em São Januário, é contra o Vasco, dono da cas e líder do Grupo A com 17 pontos. Com os dois times classificados para a próxima fase, espera-se um jogo mais solto e descompromissado, possivelmente com muitos gols. Vamos aguardar a escalação e ver no que vai dar.


Por @felipaodf/Botafogodeprimeira.com