quarta-feira, 20 de abril de 2016

Sem poder contar com Airton, Gomes arma time ofensivo contra o Flu




Chamada para o jogo (Botafogo Oficial)
Ainda sem poder contar com o Airton, homem-base do esquema com três volantes que deu padrão tático à equipe e sustentou a campanha do time até aqui, Gomes sinaliza que vai pro jogo contra o Fluminense com o chamado esquema alternativo, armando o time no mesmo 4-4-2 utilizado no domingo. Lembrando que a formação com os volantes foi implantado exatamente na rodada anterior ao jogo contra o Flu, ainda na primeira fase do Campeonato Carioca. 


Naquela oportunidade, o Botafogo enfrentou a Cabofriense e venceu por 2 a 1 e no jogo seguinte, o clássico contra o Flu, o primeiro do Alvinegro na temporada, venceu por 2 a 0 com grande exibição do time de General Severiano.


Conforme sustentamos no post de pré-jogo contra o Boavista, o Botafogo já classificado, aproveitou a partida para testar o time no 4-4-2 a ser utilizado nos jogos finais da competição. Veja em: Blog do Felipaodf: Pensando nas finais, Botafogo muda esquema contra ...  Ao final, o que se viu em campo não foi nada bom.


Talvez em função do sol forte que fazia em Saquarema, os dois times se arrastavam em campo desde o apito inicial, errando muitos passes e transformando o jogo numa confusão sem tamanho. A coisa só melhorou depois da parada para hidratação (20'), quando os times passaram a criar boas chances de gol e os arqueiros passaram a ser efetivamente exigidos. Bruno Silva, Lindoso e Luis Henrique pelo Botafogo; e Thiaguinho (ex-Botafogo), André Luiz e Willian Maranhão pelo Boavista, tiveram chances alternadas de abrirem o placar.


O segundo tempo começou como terminou o primeiro e só teve o seu panorama mudado com
as modificações realizadas por Ricardo Gomes no último quarto da partida (23'). Gegê e Salgueiro foram sacados para as entradas de Gervásio Nuñez e Leandrinho que três minutos depois, marcou o gol único da partida - o seu primeiro com a camisa do Botafogo nos profissionais.


Infográfico com o rendimento do Botafogo na Taça Guanabara
que se encerrou no domingo (Gazeta Esportiva)
A vitória magra contra o Boavista (1 a 0) não foi o bastante para nos dar a vantagem na semifinal. O Alvinegro ficou em terceiro com a mesma pontuação do Fluminense (14), que ficou em segundo com melhor saldo de gols. Aliás, o baixo rendimento do setor ofensivo foi o grande problema do time ao longo da competição.


Veja o que escrevemos sobre o tema: Blog do Felipaodf: O último terço 


Vencemos todos os dez jogos contra os "pequenos" e, nos cinco clássicos disputados até aqui, fomos superiores taticamente aos adversários apesar dos resultados mostrarem equilíbrio - uma vitória e um empate contra o Flu; um empate contra o Fla; e um empate e uma derrota para o Vasco, a única em toda a competição.


Em todos esses jogos, produzimos placares modestos, nenhum superior a dois gols. O Botafogo marcou apenas 20 gols ao longo do campeonato ficando com o pior rendimento entre os quatro grandes. Em compensação, sofremos apenas sete gols e saímos com uma das defesas menos vazadas da competição.




Leandrinho garantiu o resultado contra o Boavista
 (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
Taticamente, o Botafogo se mostrou inconsistente e o esquema com dois atacantes (Neilton com Luis Henrique e depois Ribamar) e Salgueiro de armador não funcionou a ponto de trazer tranquilidade ao torcedor. Com isso, persiste a desconfiança essa formação vai funcionar contra o Tricolor no domingo, quando o time precisa vencer para chegar às finais.


Sendo assim, no treinamento de hoje em General Severiano já com a presença da dupla de zaga titular formada por Emerson Souza e Carli, Gomes sinalizou que utilizará o 4-4-2, porém com algumas modificações em relação à equipe que começou o jogo contra o Boavista. Neilton e Luis Henrique deixaram o time para as entradas de Ribamar e Salgueiro que volta a jogar mais à frente depois de ser pouco eficiente na função de armador da equipe. Recuperado de lesão sofrida contra o Bangu, Fernandes voltou aos treinamentos mas figurou no time reserva.  


A surpresa na nova formação titular ficou por conta da presença de Leandrinho depois da boa partida que fez no domingo, quando se tornou o personagem do jogo mesmo com pouco tempo de atuação. O jovem meia de 19 anos vem treinando bem a muito tempo e, com uma desenvoltura de veterano, deu nova dinâmica ao jogo e foi premiado com o gol da vitória. 


Com isso, o time titular formou com Jefferson, Luis Ricardo, Emerson, Joel Carli, Diogo Barbosa; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, Gegê, Leandrinho, Salgueiro e Ribamar. Não se dando por satisfeito, Gomes ainda testou uma formação mais ofensiva lançando os atacantes Neilton e Luis Henrique nas vagas dos meias Salgueiro e Gegê, que pode ser utilizada numa situação de emergência já que só a vitória interessa ao Glorioso.


Os reservas treinaram com Helton Leite, Diego, Renan Fonseca, Emerson Silva, Jean; Fernandes, Octávio, Lizio, Gervasio Nuñez; Neilton e Luís Henrique.


Agora, é esperar os três dias de treinamento antes do jogo para identificar as tendências de escalação para o clássico decisivo, já que o treinador não deve dar pistas ao inimigo revelando o time. Por sua vez, o adversário jogou ontem em Juiz de Fora contra o Atlético-PR na disputa de título da Copa da Primeira Liga e saiu vencedor. Se por um lado eles vem com uma motivação extra pela conquista do título de um torneio que eles mesmos criaram, por outro lado devem chegar mais desgastados
à decisão de vaga em Volta Redonda, do que o Botafogo que tem a semana cheia só pra treinamentos.


Saudações a todos e fiquem a vontade para comentar.



 Por @felipaodf/Botafogodeprimeira.com