sexta-feira, 28 de abril de 2017

Um herói em cada jogo: reflexões sobre a vitória épica sobre o Sport pela Copa do Brasil





Check-in aberto para Sócio-torcedores. Cerca de 23 mil
 ingressos já foram comercializados (@soubotafogo)
Depois da vitória heroica do Botafogo sobre o Sport na última quarta-feira, em virada espetacular por 2 a 1, na estreia do time nas oitavas de final da Copa do Brasil, os jogadores alvinegros ganharam folga até à tarde de sexta quando se reapresentaram para treinamento no Estádio Nilton Santos visando o duelo contra o Barcelona de Guayaquil, na terça, pela Copa Libertadores. 

Copa do Brasil agora, só no próximo dia 31 de maio quando o Glorioso visita o Sport na Ilha do Retiro valendo vaga nas quartas de final da competição. Competição essa que, na escala de prioridades do torcedor alvinegro, ocupa apenas a terceira posição na temporada atrás do Brasileirão que começa no dia 14 de maio contra o Grêmio e da própria Libertadores em que estamos pelejando desde o dia 01 de fevereiro quando estreamos com vitória sobre o Colo-Colo na segunda fase da competição.  

Veja o que escrevemos sobre o tema em: Blog do FelipaoBfr: Agora é Copa do Brasil... Que venha o Sport!


Tabela atualizada após a terceira rodada Grupo 1 (SporTV)
Enquanto na Libertadores a classificação parece encaminhada, bastando para isso fazer o dever de casa - Barcelona no próximo dia 02 e o Atlético Nacional no dia 18 -, na CdoB enfrentaremos o Sport em Recife com a vantagem do empate.  

Cumpridas três rodadas na atual fase do torneio continental, o Alvinegro soma sete pontos e lidera o chamado "Grupo da Morte" com a mesma pontuação dos equatorianos. Perto da classificação para as oitavas de final. Basta uma vitória na próxima terça-feira para que o time alcance os 10 pontos e facilite a passagem para a próxima fase.


Arte: Canal Esporte Interativo
A vantagem do empate que o Bota leva para o jogo de Recife foi fruto da perseverança desse time de Jair que, mesmo diante das piores adversidades, se nega a entregar os pontos e luta até o apito final. Tem sido assim na Libertadores e a dose foi repetida nesse jogo épico contra o Sport, com direito a uma virada histórica sobre o adversário. Um resultado que por muito tempo será exaltado pelo torcedor alvinegro, ainda mais se tratando de Copa do Brasil onde as decepções se acumulam ao longo desses anos de disputa.

E o resultado veio quando o Botafogo atuava com dez jogadores - condição adversa enfrentada desde o final do primeiro tempo (*). Além disso, o time lutava contra um placar de 1 a 0 construído aos 8 minutos do primeiro tempo; Gatito Fernandez havia defendido espetacularmente um pênalti batido por Diogo Souza (27'/2o.T) e; ainda teve uma bola na trave em arremate do zagueiro Matheus Ferraz aos 36'/2o.T. A tensão era grande até que o zagueiro Emerson Santos conseguiu uma assistência perfeita para Guilherme e o surpreendente artilheiro da noite marcou o seu segundo gol na partida com um petardo de canhota que explodiu no gol defendido por Magrão. 

(*) Bruno Silva foi expulso ao levar dois cartões amarelos no espaço de 8 minutos por dois carrinhos inconsequentes e deixou os companheiros em apuros pela segunda vez num curto espaço de tempo. O jogador já estava fora do próximo compromisso pela Liberta por ter sido expulso no último jogo da competição. 


Guilherme, destaque no Botafogo na vitória sobre o Sport
 com dois gols (Botafogo Oficial)
O Botafogo pressionou o adversário tentando marcar um gol no início do jogo como convém aos mandantes no sistema mata-mata. Porém, o time abusava das bolas alçadas na área onde a dupla de zaga pernambucana levava nítida vantagem sobre Sassá que se perdeu entre eles. Guilherme procurava o jogo pelas pontas, mas sem muito espaço, esbarrava na forte marcação rubro-negra.

Como marcar um gol no começo do jogo é fundamental para o mandante, levar um gol do visitante é a pior condição possível para esses confrontos. E foi isso que aconteceu. O Sport saiu na frente com um gol de Samuel Xavier num belo chute no ângulo direito de Gatito Fernández, sem qualquer chance de defesa para o arqueiro. E assim terminou o primeiro tempo. O gol dificultou ainda mais as coisas para o Botafogo e aumentou a agonia do torcedor alvinegro em se tratando de um confronto pela Copa do Brasil. 

No segundo, apesar de todas as adversidades, o Botafogo chegou ao gol do empate já aos 10 minutos. Aproveitando os espaços deixados pelo time de Ney Franco que partiu com tudo para decidir o jogo, Airton desarmou Rithely e lançou Guilherme livre na esquerda. O atacante se livrou do zagueiro adversário e bateu cruzado de direita sem chances para Magrão. O jogador comemorou muito e homenageou a esposa, grávida do primeiro filho do casal.

O mesmo Guilherme viria a marcar o segundo aos 37 minutos do segundo tempo, decretando a virada alvinegra. Daí, foi manter a postura em campo e comemorar com a torcida que, emocionada, cantava forte saudando mais uma vitória heroica desse time.  

Mesmo que o forte do Botafogo tenha sido o conjunto, a doação em campo e o espírito de equipe, destaco as atuações de Gatito (cada vez mais seguro nos lances) pela frieza e concentração ao pegar o pênalti (esse lance deu confiança ao time para buscar o resultado); de Airton pela personalidade com que comandou o meio campo alvinegro até ser substituído ppor estafa; de João Paulo que, após a perda de Bruno Silva, comandou as ações na intermediaria e deu qualidade extra na saída de bola e; de Guilherme que, de "fominha" e "túmulo das jogadas do ataque", marcou dois golaços que deram a vitória ao Botafogo quando tudo parecia perdido. Parabéns aos envolvidos!


Saudações a todos e fiquem à vontade para comentar.


Por @FelipaoBfr/Botafogodeprimeira.com