quinta-feira, 29 de junho de 2017

Sem tempo para lamentações, o Botafogo vira a chave e vai a BH enfrentar o Galo pela Copa do Brasil




Hoje é Copa do Brasil! Vamos lá #ComAlegria sempre!

O Botafogo deu vexame na 10a. rodada do Brasileirão ao fazer, na última segunda-feira, uma de suas piores partidas do ano, diante de mais 22 mil torcedores presentes no Nilton Santos.

Mau escalado, desatento e desorganizado em campo, levou dois gols de Joel, ex-atacante alvinegro dispensado por deficiência técnica, e entregou o ouro ao bandido com uma derrota inesperada para o Avaí (2 a 0), então lanterna do campeonato, antes mesmo de completar 16 minutos de partida.

Um resultado para a torcida esquecer mas que deve servir de lição para que Jair reflita sobre o que fez.

A decepção do torcedor é maior na medida em que uma vitória simples em casa nos colocaria na terceira posição da tabela, consolidando a permanência no G-4. Porém, com o vexame, o Bota patinou e se manteve na sétima colocação embolado com os rivais cariocas.


Giulia, filha do atacante Roger, que tem deficiência visual,
 entrou com o time em campo e foi homenageada pela torcida
 alvinegra que, em coro, gritou seu nome no Niltão.
O título do nosso post de pré-jogo (veja: Não podemos dar mole, precisamos desses três ponto... ) foi tirado da fala do zagueiro Igor Rabello após o treino preparatório para o jogo quando alertava para a responsabilidade do mandante na partida: - Não podemos dar mole, precisamos desses três pontos... Mas o alerta do zagueiro ficou apenas no discurso. Ele mesmo fez uma partida abaixo do esperado e sucumbiu. Demos mole e deixamos de somar os três pontos.

O Botafogo vinha de duas boas vitórias (uma fora, contra a Chape por 2 a 0 e outra no clássico contra o Vasco por 3 a 1) e tudo fazia crer que emplacaria a terceira. Bastava repetir o padrão apresentado nos últimos jogos: um time bem postado na defesa que sai com inteligência e rapidez para o ataque.

Não tínhamos Carli e nem João Paulo, dois pilares das últimas boas atuações, que podíamos substituir naturalmente por Marcelo na zaga e Montillo pelo meio. Mas Jair, na ânsia de buscar o resultado mais rápido do que o necessário e talvez querendo mostrar serviço diante do torcedor alvinegro que compareceu em bom número ao Niltão, armou o time priorizando às ações de ataque ao colocar Camilo atuando junto a Montillo em vez de manter a estrutura com os três volantes e um meia flutuando - tínhamos a opção de entrar com Dudu Cearense ou Fernandes na posição. Isso implicou não só na alteração do esquema como na mudança de posicionamento de Bruno Silva que foi deslocado mais pra o meio deixando uma avenida nas costas do inconstante Arnaldo.

A modificação estrutural causou uma insegurança nas duas linhas de contenção do que se aproveitou o aplicado time do Avaí para criar a vantagem no placar. O time catarinense surpreendeu o Bota com uma marcação alta e eficiente e assinalou dois gols num curto espaço de tempo que lhe deu a tranquilidade para sustentar a vantagem até o fim do jogo. O descontrole era evidente e pouco melhorou com a modificação feita por Jair. Na obrigação de substituir o meia Montillo que sentiu a panturrilha e teve que deixar o campo aos sete minutos de jogo, optou por lançar mais um atacante quando poderia recompor o meio e buscar o empate com um pouco mais de organização.

O Bota partiu para o ataque mas abusou das bolas alçadas na área quando não havia estrutura tática para tirar proveito desse artifício. Teve chances para o arremate mas quase todos foram desferidos sem qualidade, fruto do próprio nervosismo.

O jogo mudou o panorama no segundo tempo com o Glorioso partindo com tudo para cima dos Catarinenses mas ainda muito desorganizado. Se o atacante Joel brilhou no começo da partida, na segunda etapa foi a vez do goleiro Douglas aparecer como herói. Fez pelo menos quatro grandes defesas e saiu de campo como destaque da partida. Resumindo, o Avaí foi mais eficiente por ter aproveitado as oportunidades que apareceram para definir o jogo e contou com o goleiro Douglas em noite inspiradíssima para sustentar o placar até o final. Por sua vez, o Botafogo, surpreendido no começo da partida, não teve a tranquilidade necessária para traduzir o domínio do segundo tempo em gols. Seus jogadores desperdiçaram muitas chances provando que a noite não era alvinegra.


Tabela atualizada após a 10a. rodada do Brasileirão. O Bota
 permanece na 7a. posição com 15 pontos (BlogdoFelipaoBfr)
Com a derrota em casa para o lanterna da competição, o Botafogo permaneceu na sétima posição com 15 pontos, fora da zona e classificação para a Libertadores. O aproveitamento que era de 55% caiu para 50%, com quatro vitórias (três em casa e uma fora), três empates (dois fora e um em casa) e três derrotas (duas fora e uma em casa).

O rendimento do nosso ataque que estava na média dos dez primeiros colocados com 12 gols e saldo de 4 passou em branco na última rodada e caiu de produção.


Clique e veja a tabela completa com todas as rodadas até o fim do Brasileirão: TABELA DO BRASILEIRÃO 2017 (JOGOS DO BOTAFOGO)


Depois do revés no começo da semana, o Botafogo dá uma pausa na maratona de jogos pelo Brasileirão e vira a chave rapidinho para o jogo contra o Galo, em Belo Horizonte, pela Copa do Brasil.

Veja a sequência de jogos do mês que se encerra amanhã contra o Galo em BH:

04/06 CAMPEONATO BRASILEIRO (11:00)
FLA  0×0  BOT

07/06 CAMPEONATO BRASILEIRO (21:00)
SAN  1×0  BOT

11/06 CAMPEONATO BRASILEIRO (11:00)
BOT  2×2  CFC

14/06 CAMPEONATO BRASILEIRO (19:30)
VIT  2×2  BOT

18/06 CAMPEONATO BRASILEIRO (16:00)
CHA  0×2 BOT

21/06 CAMPEONATO BRASILEIRO (21:00)
BOT  3×1  VAS

26/06 CAMPEONATO BRASILEIRO (20:00)
BOT  0×2  AVA

29/06 COPA DO BRASIL (19:30)
CAM  ×  BOT


Para o duelo que abre a fase de quartas de final contra o Atlético-MG nesta quinta-feira, às 19h30, no estádio Independência, o técnico Jair Ventura contará com a volta de Carli e João Paulo que cumpriram suspensão no último jogo pelo Brasileirão. Matheus Fernandes contundido e Montillo, que rescindiu o contrato com o clube em razão das seguidas lesões que o impedem de atuar, não integram a delegação que chegou ontem à tarde na capital mineira. Com isso, Camilo deve assumir a posição de armador da equipe com João Paulo jogando mais recuado ao lado de Lindoso e Bruno Silva.

O lateral Arnaldo não está inscrito na competição e deve ser substituído por Emerson Santos que joga improvisado na posição. Luis Ricardo, que foi relacionado no último jogo, não viajou. O mesmo acontece com o meia atacante Marcos Vinícius que não pode defender o clube na Copa do Brasil mas deve ser relacionado para o jogo contra o Corinthians no fim de semana em São Paulo. O restante da equipe deve ser o mesma que vinha jogando.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG X BOTAFOGO


Local: Arena Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 29 de junho de 2017 (Quinta-feira)
Horário: 19h30 (de Brasília)

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA)
Assistentes: Kleber Lucio Gil (Fifa-SC) e Bruno Boschilia (Fifa-PR)

ATLÉTICO-MG: Victor, Yago, Léo Silva, Gabriel, Fábio Santos; Elias, Rafael Carioca, Luan, Cazares, Robinho; Fred
Técnico: Roger Machado

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Emerson Santos, Joel Carli, Igor Rabello e Víctor Luís; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, João Paulo e Camilo; Rodrigo Pimpão e Roger
Técnico: Jair Ventura


Saudações a todos e fiquem à vontade para comentar.


 Por @FelipaoBfr/Botafogodeprimeira.com