sábado, 22 de julho de 2017

Depois de um empate sem graça contra o CAP, o Botafogo vai à Goiânia encarar o lanterna do Brasileirão



Pra cima, FOGO! Mais um jogo fora de casa, mais uma

 decisão no Campeonato Brasileiro! #VamosGanharFogo
O Botafogo encerrou a 15a. rodada do Brasileirão com um empate contra o Atlético Paranaense (0 a 0) na quinta-feira e o resultado dividiu os alvinegros. De um lado ficaram os que consideraram o empate um bom resultado e de outro, os que acharam que a vitória era possível se não fosse a falta de ousadia de Jair.

Confesso que fiquei em cima do muro ao considerar aceitável o resultado tendo em vista as fragrantes dificuldades de adaptação dos alvinegros ao piso da Arena - a bola fica mais viva - e por ter sido um jogo na casa do adversário que vinha de um bom resultado (2 a 2) contra o líder Corinthians, em Itaquera. Por outro lado, concordo que, em certa parte do jogo, um pouco mais de ousadia e precisão nos arremates poderiam ter nos dado a vitória e os benditos três pontos que nos colocaria no G-4.

Como expresso no post de pré-jogo, acreditávamos numa vitória e na consequente permanência no G-6 apesar das dificuldades inerentes à partida (Veja: Depois da boa vitória em casa sobre o Sport, o Botafogo visita o CAP para manter a vaga no G-6), mas não deu.


Se o G-4 escapou novamente, pelo menos permanecemos numa posição estratégica que nos habilita a continuar brigando por posições lá na frente. Com o time que temos e com o padrão de jogo estabelecido, temos chances reais de repetir o feito da temporada passada quando conseguimos a vaga para a Liberta no último jogo.


Pra continuar subindo! Foco já voltado para o Atlético-PR,
 adversário da próxima rodada do Brasileirão! 
A partida contra o CAP começou movimentada com as duas equipes tentando explorar os lançamentos. Porém, com muitos erros de passes e baixa qualidade técnica, principalmente do visitante que mostrava dificuldades de adaptação à velocidade da bola no piso sintético. Já os donos da casa, tomaram a iniciativa, forçaram as jogadas em cima de Emerson (improvisado na lateral), mas pecavam nos arremates. O Furacão andou ameaçando o gol de Jefferson mas nada tão incisivo que exigisse defesas mirabolantes do arqueiro.

Mais cauteloso do que de costume, o Bota tentava encaixar um contra-ataque mas mostrava um descompasso irritante entre suas linhas. Numas das raras chances no primeiro tempo, Roger recebeu na entrada da área, pegou de primeira mas chutou para fora com perigo.

Depois do intervalo, as equipes retornaram sem novidades e pouca coisa mudou em relação às propostas de jogo. A posse de bola seguia com o Furacão enquanto o Botafogo era mais incisivo. Lembro de uma boa chance em que Pimpão ajeitou para Matheus Fernandes dentro do área e, precipitado, o meia isolou a bola por cima do travessão. Posteriormente (31'), Guilherme, que havia entrado na vaga de Roger, desviou cruzamento e a bola passou pela área sem que ninguém chegasse a tempo para o arremate. Pouco depois, o Atlético compareceu com perigo num chute forte de Nikão que Jefferson defendeu parcialmente. No rebote, Ederson teve a chance de finalizar mas foi travado por Victor Luís.

Emerson Santos foi expulso aos 39 minutos e mesmo com um a menos, o Bota teve a chance de vitória nas mãos. Guilherme puxou um contra-ataque aos 47 minutos, cortou para o meio na sua jogada característica e chutou forte rente à trave com perigo.

Darounco, o árbitro da partida, carregou em cima do Bota. Além da expulsão de Emerson, amarelou Joel Carli, Pimpão, Igor Rabello que cumprem suspensão contra o Atlético-GO, além de Jefferson por suposta cera.


Tabela atualizada após a 11a. rodada do Brasileirão. O Bota
caiu para a 10a. posição com 15 pontos (SporTV)
A vitória não veio mas somamos mais um ponto. Chegamos aos 23 e ocupamos agora a sétima posição embolados com Sport em quinto (24), Palmeiras em sexto (23) e Cruzeiro (22) em oitavo.

O aproveitamento do Bota que era de 52% passou para 51% com seis vitórias (quatro em casa e duas fora), cinco empates (dois em casa e três fora) e quatro derrotas (uma em casa e três fora).

No confronto direto pelo Brasileirão o Botafogo leva ampla vantagem. Em seis partidas, foram quatro vitórias do Fogão, um empate e uma vitória do Dragão. Os botafoguenses marcaram 12 gols e sofreram seis.

O Glorioso vem de uma sequência invicta nos últimos cinco jogos com três vitórias (uma pela Libertadores sobre o Nacional-URU e duas outras pelo BR contra Flu e Sport) e dois empates (contra o Galo e CAP) enquanto o Rubro-negro Goiano faz campanha irregular e ocupa a última colocação na tabela. Somou apenas 8 pontos, vem de dois empates e três derrotas nos últimos cinco jogos e demitiu o técnico Doriva no meio da semana.


Veja a o que já foi e o que ainda está por vir para o Botafogo no mês de julho:

02/07 - CAMPEONATO BRASILEIRO (16:00)
COR 1×0 BOT

06/07 - TAÇA LIBERTADORES (21:45)
NAC 0×1 BOT

09/07 - CAMPEONATO BRASILEIRO (19:15)
BOT 1×1 CAM

12/07 - CAMPEONATO BRASILEIRO (21:00)
FLU 0×1 BOT

17/07 - CAMPEONATO BRASILEIRO (20:00)
BOT 2×1 SPO

20/07 - CAMPEONATO BRASILEIRO (19:30)
CAP 0×0 BOT

23/07 - CAMPEONATO BRASILEIRO (19:00)
ACG×BOT

26/07 - COPA DO BRASIL (19:30)
BOT×CAM

29/07 - CAMPEONATO BRASILEIRO (16:00)
BOT×SAO


Clique e veja a tabela completa com todas as rodadas até o fim do Brasileirão: TABELA DO BRASILEIRÃO 2017 (JOGOS DO BOTAFOGO)


Com as ocorrências do jogo, parte da delegação voltou ao Rio - os quatro suspensos (Carli, Rabello, Emerson e Pimpão) mais Lindoso e Roger que serão preservados para o embate contra o Galo, dia 26, no Nilton Santos,  pela Copa do Brasil. O restante seguiu para Goiânia onde enfrentam o Atlético Goianiense neste domingo. Para completar o grupo, Jair convocou os zagueiros Kanu e Emerson Silva, o lateral-direito Fernando, os meio-campistas Wenderson e Fernandes e o atacante Lucas Campos que foram do Rio direto para Goiânia. Alguns deles, como Kanu e Lucas, sequer vinham treinando com os profissionais.

Sem tempo para treinamentos específicos e com uma série inédita de desfalques, Jair irá montar uma equipe baseada na espinha dorsal disponível no momento. Jogadores como Jefferson, Victor Luis, Matheus Fernandes, Bruno Silva e João Paulo estão confirmados no time.

Também é certo que, sem poder contar com Arnaldo contundido e a suspensão de Emerson que jogou improvisado em Curitiba, Luis Ricardo inicia a partida depois de ter voltado contra o Sport e descansado contra o CAP. O mesmo deve acontecer com o meia-atacante Marcos Vinícius que foi o destaque no clássico contra o Flu, não foi bem contra o Sport e ficou no banco contra o Furacão.


FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-GO X BOTAFOGO-RJ


Local: Estádio Olímpico, em Goiânia (GO)
Data: 23 de julho de 2017 (Domingo)
Horário: 19h (de Brasília)

Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Assistentes: Flávio Gomes Barroca (RN) e Vinicius Melo de Lima (RN)

ATLÉTICO-GO:
Kléver, André Castro, Gilvan, Roger Carvalho e Bruno Pacheco; Marcão Silva, Igor, Paulinho e Jorginho; Niltinho e Walter
Técnico: João Paulo Sanches

BOTAFOGO: Jefferson, Luis Ricardo, Marcelo, Emerson Silva e Víctor Luís; Gilson (Dudu Cearense ou Fernandes), Bruno Silva, Matheus Fernandes e João Paulo; Guilherme e Marcos Vinícius
Técnico: Jair Ventura

Saudações a todos e fiquem à vontade para comentar.


 Por @FelipaoBfr/Botafogodeprimeira.com