sábado, 12 de agosto de 2017

Passada a euforia pela vitória na Libertadores, Botafogo recebe o Grêmio no NS precisando pontuar no Brasileirão





De volta ao Brasileirão! Domingo é mais um dia de jogar junto
com o Fogão! #PraCimaFogo (Botafogo de Futebol e Regatas)
E o dia mais aguardado do ano pelo torcedor botafoguense começou e terminou em festa no Niltão. Mais de 40 mil presentes  - novo recorde de público do ano no estádio - vibraram do começo ao fim do jogo com a vitória inquestionável do Botafogo sobre o Nacional-URU - três vezes campeão da Copa Libertadores -, por 2 a 0.

Com o resultado, o Glorioso de General Severiano, que completa neste sábado, 113 anos de futebol, passou de fase e encara o Grêmio em dois jogos pelas quartas de final da competição. O primeiro no Nilton Santos e o segundo na Arena já que o adversário fez melhor campanha na fase de grupos. As datas ainda não foram definidas pela CBF.

O agora conhecido como "Exterminador de Campeões da América" cumpre uma trajetória edificante desde o começo da competição iniciada em 1o. de fevereiro. Estreou contra o Colo-Colo-CHI na fase preliminar e avançou. Topou com o Olímpia-PAR na seguinte e ganhou a chance de disputar a sonhada fase de Grupos. Lá, como gigante, encarou o Estudiantes-ARG e Atlético Nacional-COL (o Barcelona-EQU se classificou em segundo nesse Grupo mas, assim como o Botafogo nunca venceu a Copa) e chega agora em agosto eliminando o Nacional-URU. E a saga não termina aqui já que o Grêmio, assim como os outros, já levantaram a Copa algumas vezes. O Botafogo é o primeiro time a eliminar cinco campeões da Libertadores numa mesma edição. Cinco, e contando...


Te amo, BOTAFOGO! Obrigado a todos que jogaram junto! 
Vamos fortes até o fim! #Classificado#NãoSeCompara
Surpreendentemente, os comandados de Jair, a quem bastava um empate para passar de fase, construíram uma vitória nos primeiros cinco minutos de jogo com gols de Bruno Silva e Pimpão.

Gols tão rápidos que surpreenderam a todos. Muitos que ainda não haviam entrado no estádio e a maioria que ainda estava entorpecida com a festa, simples mas majestosa, preparada pela diretoria e Organizadas. Tivemos mosaicos, bandeirinhas, bandeirões, chuva de papel e fogos na recepção dos jogadores.


O Bota começou o jogo ligado no 220v e abriu o placar aos dois minutos com Bruno Silva escorando de cabeça uma cobrança aberta de escanteio bem executada de João Paulo. Uma típica jogada que só dá certo com muito ensaio e talento.

A euforia da torcida foi tanta que contagiou o time em campo. E o segundo não demorou a sair. Três minutos após o primeiro, Pimpão aproveitou a bobeira do zagueiro Rogel ao atrasar uma bola fácil para o goleiro. Rápido e decidido, o atacante atacou a bola com um carrinho que mansamente cruzou a linha do gol pra delírio da torcida e jogadores. Um gol que bem traduz a trajetória do Botafogo na competição; um misto de raça, vontade e disciplina tática que geralmente começa nas roubadas de bola na intermediária, evolui com rapidez para o ataque em contra golpes, não raro, mortais para o adversário. Com esse gol de oportunismo, Pimpão igualou a marca de Jairzinho e Dirceu como maiores artilheiros do Botafogo na Libertadores.

Era tudo que precisávamos - o placar agregado estava em 3 a 0 pra gente e jogávamos em casa diante da torcida. Mas essa vantagem conseguida de forma tão rápida não combinava muito com o espírito precavido do torcedor botafoguense padrão. Jamais pensaríamos encontrar tal facilidade num jogo decisivo nessa competição.

Com a vantagem ampliada em escala inimaginável, o Botafogo respirou mas não tirou o pé. Controlou o jogo o tempo todo e teve mais chances de ampliar a vantagem do que o Nacional de diminuir a diferença, principalmente no meio do segundo tempo com a entrada de Guilherme na vaga de Pimpão (um dos heróis do jogo) que deixou o campo exausto.

As tentativas dos uruguaios, geralmente bolas cruzadas sobre a área, encontravam nossa zaga quase sempre bem postada. Uma ou outra que sobrou para os atacantes adversários, Gatito apareceu bem para afastar ou fazer a defesa.

A partida era perfeita para os alvinegros até que, sem alternativa no jogo, os uruguaios começaram a apelar para a violência. Por jogadas desleais e desclassificantes, Polenta e Rodríguez foram expulsos com justiça mas o árbitro se perdeu no fim do jogo ao expulsar Victor Luis quando esse era a vítima. O clima esquentou e refletiu na torcida visitante que passou a quebrar cadeiras no seu setor e arremessar em direção campo. A polícia agiu a contento. Conteve o tumulto e deteve os arruaceiros. No balanço, cerca de 220 cadeiras foram danificadas e, num acordo entre os clubes, o prejuízo de 60 mil reais foi ressarcido. 

Com o apito final, torcida e jogadores entraram em êxtase. Pimpão, Luis Ricardo, Roger e Bruno Silva se dirigiram à torcida e empunharam as bandeiras das organizadas numa comunhão inédita com a torcida.

Passada a euforia da classificação em casa, o Botafogo volta as atenções novamente para o Brasileirão onde enfrenta o Grêmio no estádio Nilton Santos, às 19h, abrindo o returno da competição. O mesmo Grêmio que enfrentara na Libertadores buscando vaga nas semifinais da competição.


Veja a maratona de jogos programados para esse mês: 

02/08 - CAMPEONATO BRASILEIRO (21:45)
BOT 1×2 PAL

06/08 - CAMPEONATO BRASILEIRO (16:00)
CRU 0×0 BOT

10/08 - TAÇA LIBERTADORES (19:15)
BOT 2×0 NAC

13/08 - CAMPEONATO BRASILEIRO (19:00)
BOT × GRE

16/08 - COPA DO BRASIL (21:45)
BOT × FLA

20/08 - CAMPEONATO BRASILEIRO (11:00)
PON × BOT

23/08 - COPA DO BRASIL (21:45)
FLA × BOT


Clique e veja a tabela completa com todas as rodadas até o fim do Brasileirão: TABELA DO BRASILEIRÃO 2017 (JOGOS DO BOTAFOGO)


No domingo passado, o time empatou em 0 a 0 com o Cruzeiro em Belo Horizonte com uma equipe alternativa reforçada por Gatito, Lindoso e Bruno Silva. Com vontade e aplicação tática, o time segurou o adversário e colheu um bom resultado dentro das circunstâncias que envolviam o jogo.

Dos últimos cinco resultados no Brasileiro (duas derrotas em casa e três empates fora) esse, no Mineirão, foi o único aceitável na sequência. O time foi guerreiro. Aguentou o tranco durante 95 minutos e quase volta ao Rio com os três pontos na mochila.


Veja as expectativas para a partida decisiva na resenha de pré-jogo: Por vaga nas quartas da Libertadores, Botafogo recebe o Nacional num Nilton Santos lotado


Tabela (2a.parte) atualizada após o fim do 1o. turno. Com o
 empate contra o Cruzeiro, o Botafogo soma 25 pontos
 e ocupa a 11a. posição. (Arte: SporTV
O Botafogo encerrou o primeiro turno com 25 pontos, na 11a. posição e vai precisar melhorar o rendimento se quiser repetir a campanha do ano passado quando, numa arrancada significativa no segundo turno, saiu da zona de rebaixamento e atingiu o G-6, garantindo vaga na primeira fase da Libertadores.

O aproveitamento caiu para 43,9%, abaixo do esperado mesmo com o time lutando em três frentes de disputa: Liberta, CdoB e Brasileiro. Foram seis vitórias (quatro em casa e duas fora), sete empates (dois em casa e cinco fora) e seis derrotas (três em casa e três fora) no primeiro turno.

Passado o sufoco contra o Cruzeiro e a grande vitória sobre Nacional pela Liberta, o Botafogo vai ter que se reinventar mais uma vez já que na próxima quarta-feira teremos outra parada indigesta e Jair precisara poupar alguns titulares e escalar um time alternativo. Começa a disputa das semifinais da Copa do Brasil contra o Flamengo, nosso arquival dos últimos tempos. O jogo de ida será no Nilton Santos e o de volta, antes marcado para o Luso-Brasileiro, na Ilha, será disputada no Maracanã com o mando do adversário.


Grêmio está na frente! Mas será que esses números interferem 
dentro de campo? (Canal Premiere)

Na história dos confrontos entre as equipes no Brasileirão, Botafogo e Grêmio Cruzeiro já se enfrentaram 54 vezes com vantagem pros gaúchos. São 21 vitórias para o Tricolor contra 17 para o Alvinegro, e 16 empates. O Grêmio marcou 70 gols enquanto o Botafogo, 61.

Sendo assim, contra os comandados de Renato poderemos ver um time formado por: Jefferson, que ficou no banco na quinta-feira e deve assumir a vaga de Gatito; Arnaldo, que voltou a treinar com o grupo essa semana; Marcelo e Emerson Silva no miolo da zaga e Gilson na lateral-esquerda. 
No meio de campo é que residem as maiores preocupações. Sem reservas à altura ou com jogadores que foram agregados recentemente ao grupo, Jair terá que quebrar a cabeça para montar um quarteto competitivo para parar a máquina gremista. Se não vejamos: se poupar os quatro titulares da posição - Lindoso, Matheus Fernandes, Bruno Silva e João Paulo -, o treinador terá que se virar com Fernandes, que não joga a muito tempo e é uma eterna incógnita; Leandrinho, que passou longo tempo contundido, não vem sendo utilizado e está sem ritmo de jogo; Marcos Vinicius que tem oscilado mas foi muito bem contra o São Paulo marcando dois gols enquanto teve fôlego; e a "estrela" Leo Valencia, que estreou contra o Palmeiras entrando no decorrer da partida mas não repetiu a boa atuação contra o Cruzeiro, frustrando a torcida. Duddu Cearense está suspenso.

Na frente parece que não há dúvidas com Guilherme em boa fase pelos flancos e Brenner, que vem se ambientando, na função exercida pelo Roger. Vamos torcer!


FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO-RJ X GRÊMIO-RS


Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 13 de agosto de 2017 (Domingo)
Horário: 19h(de Brasília)
Árbitro: Wagner Reway (Fifa-MT)
Assistentes: Eduardo Goncalves da Cruz (MS) e Fabio Rodrigo Rubinho (MT)

BOTAFOGO: Jéfferson (Gatito), Arnaldo, Marcelo, Emerson Silva e Gilson; Matheus Fernandes, Bruno Silva, Leonardo Valencia e Marcos Vinícius (Leandrinho); Guilherme e Brenner
Técnico: Jair Ventura

GRÊMIO:
Paulo Victor, Leonardo(Edílson), Bressan, Bruno Rodrigo e Marcelo Oliveira; Jailson, Michel, Léo Moura, Lincoln e Fernandinho; Everton
Técnico: Renato Portaluppi

Saudações a todos e fiquem à vontade para comentar